Se registrou agora? é obrigatório se apresentar neste tópico em menos de 24 horas, sob pena de exclusão: [Novatos] Apresente-se aqui.

OBS.: Para participar do Chat, ver perfis e acessar o sub-fórum Relatos & Relacionamentos você precisa se cadastrar no Fórum. Os tópicos dessa seção não aparecem no box de mensagens recentes abaixo.

Caso sua conta não tenha sido aprovada imediatamente, aguarde o prazo de 2 (dois) dias úteis para ter seu cadastro efetivado por um Administrador.

Tópico das Armas

Todos os demais assuntos não relacionados nos outros fóruns devem ser postados aqui.
Avatar do Usuário
Remy LeBeau
Veterano
Veterano
Mensagens: 297
Registado: 13 mar 2016, 23:41
Reputação: 3
Uzbekistan

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Remy LeBeau » 25 jun 2016, 19:53

Imagem
Continua valendo. Não portar esse documento costuma dar uma merda bem grande lá.
Taxas na obtenção e renovação.
Prazo de validade.
6 meses de carência caso ocorra o vencimento, depois disso é preso.
Para obtê-lo, o Estado obriga o indivíduo a fazer cursos de tiro e manutenção do armamento e lograr êxito (como uma CNH).
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1345
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Homem » 25 jun 2016, 20:40

Basileus Basileon Escreveu:
Homem Escreveu:Varia de estado para estado. Em alguns estados, como Arizona, Wyoming, Maine o porte de arma é totalmente livre, não precisa nem de autorização. A cada ano mais estados se juntam a esse grupo — em 2010, 3 estados permitiam o porte sem autorização, hj 6 estados não requer nenhuma autorização....
No Texas, armas são vendidas no supermercado, e em 2016 passou a vigorar uma lei que permite o livre porte de pistolas em público.
Já em estados, como Califórnia, Nova York, há um rígido controle de armas...
o
Quanto ao PL 3722/2012, revoga o atual Estatuto do Desarmamento, mas ainda mantem um forte controle de armas, comparado a alguns estados americanos, como Texas, Arizona... Além disso restringe a posse de determinadas armas... Tem até um PL do Pastor Marcos Feliciano apensado ao PL 3722, que proibe a posse de metralhadoras... Ou seja, mesmo com o PL do Peninha passando, o Brasil ainda manterá um forte controle de armas.... Mas é melhor do que o atual Estatuto do Desarmamento...

Sim, existem Estados que liberam e outros não. O que eu disse é que ainda que o cara vá em uma loja comprar, o Estado é informado e faz um cadastro do indivíduo, quando não é responsável por dar o aval da compra. Há um controle, não tem como escapar disso.

Na Suíça idem, desde a compra, desde os clubes de tiro, desde o conscrito que leva o rifle do exército para casa após o serviço militar. Mas o modelo suíço só se sustenta porque é um território pequeno e uma população baixa. A neutralidade se mantem nas relações internacionais e os outros países sabem que seria custosa uma invasão naquele território por causa da provável guerrilha que enfrentaria.

Você está inferindo que só porque o Estado controla e autoriza, o porte é bem restrito. Não é bem assim. Nova York, por exemplo, exige autorização, mas o porte está à disposição do indivíduo que necessita, pode pagar e comprovar a necessidade.
Tem até um WikiHOW de como obtê-la: http://www.wikihow.com/Buy-a-Gun-in-New-York-City

No Estado de Connecticut, o departamento de Emergências, Serviços e Proteção Pública é responsável por deferir ou indeferir autorizações para compra de armas de fogo: http://www.ct.gov/despp/cwp/view.asp?a=4213&q=494616
Porque a ideia neste estado é que se um indivíduo está comprando uma arma, é porque o Estado não está prestando segurança corretamente.

Quando o democrata maometano abriu fogo na boate, com o nome dele já foi possível identificar o armamento comprado, os dados pessoais da autorização, o que ele comprou e etc. Bem como ver que ele foi para uma região livre de armas cometer o atentado.
Isto é inevitável.

Fora que a autorização também serve de arrecadação para o Estado (taxas) e tem validade.

Como eu falei, varia de estado para estado. Connecticut tem uma das leis de armas mais restritivas do país...
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
Baralho
Veterano
Veterano
Mensagens: 271
Registado: 13 mai 2016, 22:53
Reputação: 2
Brazil

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Baralho » 25 jun 2016, 21:06

Bem ainda acompanhando esse tópico, e quanto á comparação Chicago x Houston, é um dado ainda restrito de dados, sem saber como é o controle e penalizações de estado pra estado (Illinois x Texas).

E não, a opinião que manifestei não é dogmática, porém ainda não a mudei.

E é bom lembrar, uma lei deve ter uma motivação que a embase, e deve ser sólida, no Br é muito "fácil" modificar leis a conveniência de governos do momento.

Interessa notar que mesmo com o estatuto de desarmamento nosso país segue com o mesmo código da década de 40, quando o processo deveria ser o contrário (muda-se a lei maior, exemplo Código civil e depois regulamenta-se competências e permissões bem como sanções correspondentes).
Thou shouldst not have been old before thou hadst been wise.
Avatar do Usuário
Remy LeBeau
Veterano
Veterano
Mensagens: 297
Registado: 13 mar 2016, 23:41
Reputação: 3
Uzbekistan

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Remy LeBeau » 26 jun 2016, 01:30

Homem Escreveu:Como eu falei, varia de estado para estado. Connecticut tem uma das leis de armas mais restritivas do país...

Restritivo é o que nós temos aqui, praticamento zero e sem nenhuma possibilidade de obtenção. Estou implicando só com o "restitivas", até porque lá é liberado, como nos outros Estados que também aceitam, o que existe são algumas leis e atos administrativos que regram como se dá a obtenção, o uso e as taxas que envolvem.

De fato, não faria sentido o Estado autorizar, por exemplo, que um indivíduo que recém saiu do sistema carcerário com uma ficha corrida extensa, inclusive por crimes de roubo, homicídio e até mesmo organização criminosa, comprasse armamento de fogo legalmente.
Ao passo que seria justo um cidadão comum, sem antecedentes ou problemas psicológicos, adquirir uma arma de fogo para proteger a sua família.
Pro Estado é vantajoso autorizar, por causa do recolhimento de taxas. Assim como é desvantajoso autorizar para alguém que não pode, pois quem errou no procedimento (se houve) pode ser responsabilizado, e sobrará para o erário.

Isto é controle, não restrição. O direito está lá, as armas também. Só que é fato, alguns não conseguirão ter armas e nem podem, pois são ameaças para a sociedade pela falta do discernimento necessário para lidar com o armamento. Por isso não dá pra chamar de restritivo só porque o Estado disciplina o procedimento de obtenção para identificar aqueles que não podem ter. 100% é inviável, não existe, alguns realmente não podem, porque não atendem aos critérios necessários. Agora quem atende e pode, ok.

Controlar, regrar, disciplinar, estabelecer um procedimento não é restrição. Restrição é impedir, negar e não deixar.
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1345
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Homem » 26 jun 2016, 12:43

Basileus Basileon Escreveu:
Homem Escreveu:Como eu falei, varia de estado para estado. Connecticut tem uma das leis de armas mais restritivas do país...

Restritivo é o que nós temos aqui, praticamento zero e sem nenhuma possibilidade de obtenção. Estou implicando só com o "restitivas", até porque lá é liberado, como nos outros Estados que também aceitam, o que existe são algumas leis e atos administrativos que regram como se dá a obtenção, o uso e as taxas que envolvem.

De fato, não faria sentido o Estado autorizar, por exemplo, que um indivíduo que recém saiu do sistema carcerário com uma ficha corrida extensa, inclusive por crimes de roubo, homicídio e até mesmo organização criminosa, comprasse armamento de fogo legalmente.
Ao passo que seria justo um cidadão comum, sem antecedentes ou problemas psicológicos, adquirir uma arma de fogo para proteger a sua família.
Pro Estado é vantajoso autorizar, por causa do recolhimento de taxas. Assim como é desvantajoso autorizar para alguém que não pode, pois quem errou no procedimento (se houve) pode ser responsabilizado, e sobrará para o erário.

Isto é controle, não restrição. O direito está lá, as armas também. Só que é fato, alguns não conseguirão ter armas e nem podem, pois são ameaças para a sociedade pela falta do discernimento necessário para lidar com o armamento. Por isso não dá pra chamar de restritivo só porque o Estado disciplina o procedimento de obtenção para identificar aqueles que não podem ter. 100% é inviável, não existe, alguns realmente não podem, porque não atendem aos critérios necessários. Agora quem atende e pode, ok.

Controlar, regrar, disciplinar, estabelecer um procedimento não é restrição. Restrição é impedir, negar e não deixar.

Restritivo sim. Comparado aos outros estados americanos é restritivo.

Controle de cu é rola. Essas burocracias só dificultam o porte ao cidadão honesto. Não há gun control que impede bandido de possuir e portar armas. Vc acha que bandido vai se submeter a regrinhas como "mostrar seus antecedentes criminais"?

Prefiro que seja como no Arizona, Maine, Vermont onde o cidadão pode portar armas without permit/license.

Ademais, bandido que já roubou e matou, não tinha nem que estar vivo, muito menos solto. Isso é mais uma falha do Estado.... Por isso que devemos ter o direito ao porte de armas, para nos defender desses bandidos...
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
Remy LeBeau
Veterano
Veterano
Mensagens: 297
Registado: 13 mar 2016, 23:41
Reputação: 3
Uzbekistan

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Remy LeBeau » 26 jun 2016, 14:47

Homem Escreveu:Restritivo sim. Comparado aos outros estados americanos é restritivo.

Controle de cu é rola. Essas burocracias só dificultam o porte ao cidadão honesto. Não há gun control que impede bandido de possuir e portar armas. Vc acha que bandido vai se submeter a regrinhas como "mostrar seus antecedentes criminais"?

Prefiro que seja como no Arizona, Maine, Vermont onde o cidadão pode portar armas without permit/license.

Ademais, bandido que já roubou e matou, não tinha nem que estar vivo, muito menos solto. Isso é mais uma falha do Estado.... Por isso que devemos ter o direito ao porte de armas, para nos defender desses bandidos...

Restrista por apenas liberar segundo alguns critérios? Todos os outros estados que liberam vão adotar os seus respectivos critérios, alguns mais frouxos, outros não. Quem não atende aos critérios não poderá, salvo se o cara ir na ilegalidade ou se dirigir para outro estado com regras mais afrouxadas. 100%? Nem mesmo em regiões em que é flexibilizado vai ter uma margem tão grande.

E a ilegalidade está lá, como também está na Suíça, por exemplo. O mercado negro ainda opera lá, para que associações criminosas e indivíduos que não podem obter legalmente possam comprar. É a mesma lógica daqueles que falam por aí que se liberar todas as drogas o tráfico acabaria. Ainda que liberassem as armas sem nenhum tipo de critério, o mercado negro continuaria a agir, competindo em preços com entes privados ou para fornecer armamento a quem não poderia obter segundo a lei. Livre Mercado, ué, alguns agentes do lado da lei e outros à margem.
Assim como quando os Estados Unidos voltou a liberar a venda de bebidas alcoólicas, você ainda continua a ter bebidas adulteradas ou oriundas de descaminho. No caso do cidadão, é uma questão de critério, e ainda que os esquerdistas de Washington tentem barrar as leis federais básicas para autorizar o porte e a posse, a palavra final ainda é dos estados.

No caso do Arizona o regramento é flexibilizado sim, mas ainda existem e as limitações estão no próprio link que você postou.
Áreas em que o porte é proibido.
[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
Hydroelectric or nuclear power generating stations. However, this does not apply to:
A peace officer or any person summoned by any peace officer to assist and while actually assisting in the performance of official duties.
A member of the military forces of the United States or of any state of the United States in the performance of official duties.
A warden, deputy warden, community correctional officer, detention officer, special investigator or correctional officer of the state department of corrections or the department of juvenile corrections.
A person specifically licensed, authorized or permitted pursuant to an Arizona or federal statute.

Polling places on election day. However, this does not apply to:
A peace officer or any person summoned by any peace officer to assist and while actually assisting in the performance of official duties.
A member of the military forces of the United States or of any state of the United States in the performance of official duties.
A warden, deputy warden, community correctional officer, detention officer, special investigator or correctional officer of the state department of corrections or the department of juvenile corrections.
A person specifically licensed, authorized or permitted pursuant to an Arizona or federal statute.

Secured areas of airports. However, this does not apply to:
General aviation areas not included in the security identification display area or sterile area as defined in the airport security program approved by the transportation security administration.
The lawful transportation of deadly weapons in accordance with state and federal law.
A peace officer or a federally sworn officer while in the actual performance of the officer's duties.
A member of the military forces of the United States or of any state of the United States in the actual performance of the member's official duties.
An individual who is authorized by a federal agency in the actual performance of the individual's official duties.

Inside a jail or on the grounds thereof.
K-12 School grounds. However, this does not apply to:

Firearms possessed for the purposes of preparing for, conducting or participating in hunter or firearm safety courses.
Firearms for use on the school grounds in a program approved by the school.
Unloaded firearms carried inside a means of transportation and under the control of an adult, provided that if the adult leaves the means of transportation, it is locked and the firearms are not visible from the outside.
A peace officer or any person summoned by any peace officer to assist and while actually assisting in the performance of official duties.
A member of the military forces of the United States or of any state of the United States in the performance of official duties.
A warden, deputy warden, community correctional officer, detention officer, special investigator or correctional officer of the state department of corrections or the department of juvenile corrections.
A person specifically licensed, authorized or permitted pursuant to an Arizona or federal statute.

Establishments which are licensed to sell alcohol for consumption on the premises. However, this does not apply to:
The licensee or an employee of the licensee acting with the permission of the licensee to be in possession of a firearm while on the licensed premises.
A person who is on the premises for a limited time to seek emergency aid, if such person does not buy, receive, consume, or possess alcohol while there.
Hotel or motel guest room accommodations.
The exhibition or display of a firearm in conjunction with a meeting, show, class or similar event.
A person with a concealed carry permit who carries a concealed handgun, provided that there is no notice posted forbidding such, and provided that the concealed carry permit holder consumes no alcohol while on the premises.
Peace officers or members of a sheriff's volunteer posse while on duty who have received firearms training that is approved by the Arizona Peace Officer Standards and Training board.

Any private property or private establishment where the owner or any other person having lawful control over the property has given reasonable notice forbidding the carrying of deadly weapons or firearms. However, this does not apply to:
Officers of the law who are legally executing official duties.
Lawfully possessed firearms that are in a locked and privately owned vehicle or in a locked compartment on a privately owned motorcycle and that are not visible from outside the vehicle or motorcycle.

Any public college or university where the carrying of deadly weapons or firearms has been prohibited by the governing board.
On the grounds of or in a secure care facility under the jurisdiction of the department of juvenile corrections.
In a correctional facility or the grounds of a correctional facility.

Quem não pode comprar armas de fogo.
[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
State law prohibits the possession of firearms and other deadly weapons by certain categories of "prohibited possessors". According to current statute, these categories are defined as follows:

Anyone who has been found to constitute a danger to self or to others or to be persistently or acutely disabled or gravely disabled pursuant to court order under ARS 36-540, and whose right to possess a firearm has not been restored pursuant to ARS 13-925.
Anyone convicted of a felony, or who has been adjudicated delinquent for a felony, and whose State civil right to possess or carry a gun or firearm has not been restored by separate order of the court.
Anyone who has been found incompetent to stand trial and who has not subsequently been found competent.
Anyone who has been guilty except insane of committing a crime
Anyone who is, at the time of possession, serving a term of imprisonment in any correctional or detention facility.
Anyone who is, at the time of possession, serving a term of probation pursuant to a conviction for a domestic violence offense or a felony offense, parole, community supervision, work furlough, home arrest, or release on any other basis, or who is serving a term of probation or parole pursuant to an interstate compact.
Anyone who is an undocumented alien or a nonimmigrant alien, traveling with or without documentation for business or pleasure, or who is studying in Arizona and maintains a foreign residence, except for:

Nonimmigrant aliens who possess a valid hunting license or permit lawfully issued by a state in the United States.
Nonimmigrant aliens who enter the United States to participate in a competitive target shooting event or to display firearms at a sports or hunting trade show sponsored by a national, state, or local firearms trade organization devoted to competitive or sporting use of firearms.
Certain diplomats.
Officials of foreign governments or distinguished foreign visitors who are designated by the United States department of state.
Persons who have received a waiver from the United States attorney general.

Armas que não podem ser vendidas no estado de Arizona.
[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
State law prohibits the possession certain types of firearms and other deadly weapons by any citizen. These weapons are defined as follows:

An item that is a bomb, grenade, rocket having a propellant charge of more than four ounces is an explosive, incendiary or poison gas, or any combination of parts or materials that is designed and intended for use in making such or converting a device into such, unless it has been classified as a "curio or relic" under federal law, or is registered under the federal National Firearms Act.
A device that is designed, made or adapted to muffle the report of a firearm, unless it has been classified as a "curio or relic" under federal law, or is registered under the federal National Firearms Act.
A firearm that is capable of shooting more than one shot automatically, without manual reloading, by a single function of the trigger, unless it is has been classified as a "curio or relic" under federal law, or is registered under the federal National Firearms Act.
A rifle with a barrel length of less than sixteen inches, or a shotgun with a barrel length of less than eighteen inches, or any firearm that is made from a rifle or shotgun and that, as modified, has an overall length of less than twenty-six inches, unless it is has been classified as a "curio or relic" under federal law, or is registered under the federal National Firearms Act.
An instrument, including a nunchaku, that consists of two or more sticks, clubs, bars or rods to be used as handles, connected by a rope, cord, wire or chain, in the design of a weapon used in connection with the practice of a system of self-defense.
A breakable container that contains a flammable liquid with a flash point of one hundred fifty degrees Fahrenheit or less and that has a wick or similar device capable of being ignited, or any combination of parts or materials that is designed and intended for use in making such or converting a device into such.
A chemical or combination of chemicals, compounds or materials, including dry ice, that is possessed or manufactured for the purpose of generating a gas to cause a mechanical failure, rupture or bursting or an explosion or detonation of the chemical or combination of chemicals, compounds or materials.
An improvised explosive device, or any combination of parts or materials that is designed and intended for use in making such or converting a device into such.


O teu próprio exemplo mostra que mesmo o estado do Arizona apresentando as leis mais flexíveis e favoráveis, também apresenta limitações, burocracia e controle. Além disso, vagabundo lá não pode conseguir armamento legalmente, portanto, restando apenas o mercado negro para se abastecer.

Sobre Maine, também existem limitações e controles. Em resumo, o cara só pode portar revólveres e pistolas ao ar livre; tem que certificar o estado da compra da arma de fogo em até 15 dias da compra, senão ele está na ilegalidade (existe um órgão público que registra as armas de fogo no estado, como especificações e a numeração, caso ela seja roubada, furtada, extraviada ou apareça em algum crime) e o portador não pode estar alcoolizado (sim, eles fazem bafômetro).

Sobre Vermont, o estado deu liberalidade para os municípios seguirem a sua lei ou não, a exemplo disso, Burlington baniu à comercialização de rifles de assaulto e munições com grande poder de destruição dentro dos seu território no ano de 2013 e Montpelier, a capital do estado, também já havia tentado regulamentar a compra de armas de fogo dentro dos seus limites, mas as leis foram cassadas, atualmente, dentro do Legislativo daquela cidade, existem novos projetos seguindo essa ideia.
Hehehehe, e a flexibilização do porte e da posse no estado de Vermont só se sustenta porque esses direitos estão na Constituição do estado, do século XVIII e anterior a dos EUA. Bem como a Corte Constitucional do estado dá eficácia para esses direitos, inclusive em portar as armas nos limites do estado sem licença. Ou seja, é o Estado que está protegendo esse direito, e não ameaçando ele. E o direito só subsiste porque o estado de Vermont dá eficácia a ele. :yaoming
Mesmo com o controle mais brando, 70% - 75% dos residentes de Vermont (incluindo de outros estados, já que ele autoriza qualquer um que more nos limites a ter armas de fogo) possuem armas de fogo. Novamente, não atingimos o patamar utópico de 100%, mesmo diante de um estado bem liberal neste aspecto. E o direito ao porte e posse podem ser removidos pelo estado no caso de envolvimento com crimes, por exemplo, já que ele não é absoluto.

E outra... Ainda que em algumas regiões dos EUA não exijam autorização do Estado, ao contrário do HUEzil que o CDC obriga o ente privado a realizar uma venda, lá o ente privado escolhe se quer vender ou não, portanto se ele não for com a cara do comprador, ou descobrir informações negativas nos arquivos públicos, ele pode optar por não vender. E por que ele não vende? Porque lá nos EUA se um vendedor vende algum bem que é utilizado para uma prática criminosa, ele pode ser responsabilizado. Por isso é comum donos de bares acabarem responsabilizados penalmente e civilmente quando vendem bebida alcoólica para alguém que bebe para cometer algum crime, o mesmo para quem vende arma de fogo.

E antes que venha algum quote falando que sou contra, já falei anteriormente que sou favorável, mas com uma regulamentação mínima e necessária, além de eficaz.

Como mostrou à legislação (e vale lembrar, os três modelos que você citou estão entre as cinco mais liberais dos EUA), a vida não é como nos Simpsons, em que um texano grita "IRRRRÁÁÁÁÁÁÁÁ" e atira com dois revólveres para o alto, bem como a vida não é como no Family Guy, em que você vai em uma mercearia comprar um whisky e recebe de troco um revólver.

Sobre a pena de morte, sim concordo. Ao passo que os vagabundos continuam ainda conseguindo armas no mercado negro, por contrabando ou corrompendo tanto nos EUA, quanto em uma Suíça por exemplo.
Sobre a falha do Estado, já usei como exemplo Connecticut em que a ideia da regulamentação lá é que se um indivíduo comprou arma de fogo lá, é porque o Estado falhou em prover segurança pública, porque não existe um modelo 100% eficiente no mundo, e dificilmente existirá, porque se houver qualquer crime, significa que falhou.

E novamente, como já falei, o convite para ir para o meio do mato, para as águas internacionais e morar lá sem o Estado continua de pé, afinal, ele não é inchado, opressor e malvado, por que continuar aqui?????
Por exemplo, o ex-diretor do Mises Brasil já arregou. Entrou com uma reclamatória trabalhista contra o empregador-capitalista-imperialista-opressor, o próprio Instituto. Ué? Cadê o anarcocapitalismo que não precisa do Estado? Cadê as soluções dos conflitos particulares sem o Estado? Por que recorrer aos direitos trabalhistas se eles são "expropriações da atividade empresarial"?
Detalhe que ele pediu justiça gratuita, alegando que não podia custear o próprio processo, kkkkkk. Ou seja, o contribuinte paulistano e o antigo empregador dele (uma pessoa jurídica) terão que arcar com as custas do processo dele, kkkkk. Esse é o fim da turminha anarco-capitalista, falam e falam, mas não saem do Estado e voltam pedindo arrego. Ao menos sejam honestos com a própria ideologia e saiam do Estado, voltem ao tempo das cavernas e do porrete.
Detalhe, 110 mil temerários de verbas rescisórias que o Instituto não pagou, e que saiu acordado. O Instituto pagou e nem ofereceu defesa, kkkkk.

Antes que me chame de mentiroso.
Comentários acerca da petição do cara.
[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
Imagem

Mais imagens.
[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
https://www.reddit.com/r/brasil/comments/4pmp8r/exdiretor_do_instituto_mises_entra_com_reclama%C3%A7%C3%A3o/

Link do processo trabalhista para acompanhar na Internet.
[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
http://consulta.pje.trtsp.jus.br/consultaprocessual/pages/consultas/DetalhaProcesso.seam?p_num_pje=767727&p_grau_pje=1&dt_autuacao=&cid=2979283


Quem mediou o acordo foi o próprio Estado. :yaoming

Além de não sair do Estado, ainda recorrem a ele para resolver os problemas particulares. Da próxima vez chama o Batman.
Este é o fim dos anarquistas: vergonha-alheia, falta de coerência, hipocrisia e recorrer ao Estado-opressor. :yaoming
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1345
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Homem » 26 jun 2016, 16:58

[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
Basileus Basileon Escreveu:Restrista por apenas liberar segundo alguns critérios? Todos os outros estados que liberam vão adotar os seus respectivos critérios, alguns mais frouxos, outros não. Quem não atende aos critérios não poderá, salvo se o cara ir na ilegalidade ou se dirigir para outro estado com regras mais afrouxadas. 100%? Nem mesmo em regiões em que é flexibilizado vai ter uma margem tão grande.

E a ilegalidade está lá, como também está na Suíça, por exemplo. O mercado negro ainda opera lá, para que associações criminosas e indivíduos que não podem obter legalmente possam comprar. É a mesma lógica daqueles que falam por aí que se liberar todas as drogas o tráfico acabaria. Ainda que liberassem as armas sem nenhum tipo de critério, o mercado negro continuaria a agir, competindo em preços com entes privados ou para fornecer armamento a quem não poderia obter segundo a lei. Livre Mercado, ué, alguns agentes do lado da lei e outros à margem.
Assim como quando os Estados Unidos voltou a liberar a venda de bebidas alcoólicas, você ainda continua a ter bebidas adulteradas ou oriundas de descaminho. No caso do cidadão, é uma questão de critério, e ainda que os esquerdistas de Washington tentem barrar as leis federais básicas para autorizar o porte e a posse, a palavra final ainda é dos estados.

No caso do Arizona o regramento é flexibilizado sim, mas ainda existem e as limitações estão no próprio link que você postou.
Áreas em que o porte é proibido.
Hydroelectric or nuclear power generating stations. However, this does not apply to:
A peace officer or any person summoned by any peace officer to assist and while actually assisting in the performance of official duties.
A member of the military forces of the United States or of any state of the United States in the performance of official duties.
A warden, deputy warden, community correctional officer, detention officer, special investigator or correctional officer of the state department of corrections or the department of juvenile corrections.
A person specifically licensed, authorized or permitted pursuant to an Arizona or federal statute.

Polling places on election day. However, this does not apply to:
A peace officer or any person summoned by any peace officer to assist and while actually assisting in the performance of official duties.
A member of the military forces of the United States or of any state of the United States in the performance of official duties.
A warden, deputy warden, community correctional officer, detention officer, special investigator or correctional officer of the state department of corrections or the department of juvenile corrections.
A person specifically licensed, authorized or permitted pursuant to an Arizona or federal statute.

Secured areas of airports. However, this does not apply to:
General aviation areas not included in the security identification display area or sterile area as defined in the airport security program approved by the transportation security administration.
The lawful transportation of deadly weapons in accordance with state and federal law.
A peace officer or a federally sworn officer while in the actual performance of the officer's duties.
A member of the military forces of the United States or of any state of the United States in the actual performance of the member's official duties.
An individual who is authorized by a federal agency in the actual performance of the individual's official duties.

Inside a jail or on the grounds thereof.
K-12 School grounds. However, this does not apply to:

Firearms possessed for the purposes of preparing for, conducting or participating in hunter or firearm safety courses.
Firearms for use on the school grounds in a program approved by the school.
Unloaded firearms carried inside a means of transportation and under the control of an adult, provided that if the adult leaves the means of transportation, it is locked and the firearms are not visible from the outside.
A peace officer or any person summoned by any peace officer to assist and while actually assisting in the performance of official duties.
A member of the military forces of the United States or of any state of the United States in the performance of official duties.
A warden, deputy warden, community correctional officer, detention officer, special investigator or correctional officer of the state department of corrections or the department of juvenile corrections.
A person specifically licensed, authorized or permitted pursuant to an Arizona or federal statute.

Establishments which are licensed to sell alcohol for consumption on the premises. However, this does not apply to:
The licensee or an employee of the licensee acting with the permission of the licensee to be in possession of a firearm while on the licensed premises.
A person who is on the premises for a limited time to seek emergency aid, if such person does not buy, receive, consume, or possess alcohol while there.
Hotel or motel guest room accommodations.
The exhibition or display of a firearm in conjunction with a meeting, show, class or similar event.
A person with a concealed carry permit who carries a concealed handgun, provided that there is no notice posted forbidding such, and provided that the concealed carry permit holder consumes no alcohol while on the premises.
Peace officers or members of a sheriff's volunteer posse while on duty who have received firearms training that is approved by the Arizona Peace Officer Standards and Training board.

Any private property or private establishment where the owner or any other person having lawful control over the property has given reasonable notice forbidding the carrying of deadly weapons or firearms. However, this does not apply to:
Officers of the law who are legally executing official duties.
Lawfully possessed firearms that are in a locked and privately owned vehicle or in a locked compartment on a privately owned motorcycle and that are not visible from outside the vehicle or motorcycle.

Any public college or university where the carrying of deadly weapons or firearms has been prohibited by the governing board.
On the grounds of or in a secure care facility under the jurisdiction of the department of juvenile corrections.
In a correctional facility or the grounds of a correctional facility.
Quem não pode comprar armas de fogo.
State law prohibits the possession of firearms and other deadly weapons by certain categories of "prohibited possessors". According to current statute, these categories are defined as follows:

Anyone who has been found to constitute a danger to self or to others or to be persistently or acutely disabled or gravely disabled pursuant to court order under ARS 36-540, and whose right to possess a firearm has not been restored pursuant to ARS 13-925.
Anyone convicted of a felony, or who has been adjudicated delinquent for a felony, and whose State civil right to possess or carry a gun or firearm has not been restored by separate order of the court.
Anyone who has been found incompetent to stand trial and who has not subsequently been found competent.
Anyone who has been guilty except insane of committing a crime
Anyone who is, at the time of possession, serving a term of imprisonment in any correctional or detention facility.
Anyone who is, at the time of possession, serving a term of probation pursuant to a conviction for a domestic violence offense or a felony offense, parole, community supervision, work furlough, home arrest, or release on any other basis, or who is serving a term of probation or parole pursuant to an interstate compact.
Anyone who is an undocumented alien or a nonimmigrant alien, traveling with or without documentation for business or pleasure, or who is studying in Arizona and maintains a foreign residence, except for:

Nonimmigrant aliens who possess a valid hunting license or permit lawfully issued by a state in the United States.
Nonimmigrant aliens who enter the United States to participate in a competitive target shooting event or to display firearms at a sports or hunting trade show sponsored by a national, state, or local firearms trade organization devoted to competitive or sporting use of firearms.
Certain diplomats.
Officials of foreign governments or distinguished foreign visitors who are designated by the United States department of state.
Persons who have received a waiver from the United States attorney general.
Armas que não podem ser vendidas no estado de Arizona.
State law prohibits the possession certain types of firearms and other deadly weapons by any citizen. These weapons are defined as follows:

An item that is a bomb, grenade, rocket having a propellant charge of more than four ounces is an explosive, incendiary or poison gas, or any combination of parts or materials that is designed and intended for use in making such or converting a device into such, unless it has been classified as a "curio or relic" under federal law, or is registered under the federal National Firearms Act.
A device that is designed, made or adapted to muffle the report of a firearm, unless it has been classified as a "curio or relic" under federal law, or is registered under the federal National Firearms Act.
A firearm that is capable of shooting more than one shot automatically, without manual reloading, by a single function of the trigger, unless it is has been classified as a "curio or relic" under federal law, or is registered under the federal National Firearms Act.
A rifle with a barrel length of less than sixteen inches, or a shotgun with a barrel length of less than eighteen inches, or any firearm that is made from a rifle or shotgun and that, as modified, has an overall length of less than twenty-six inches, unless it is has been classified as a "curio or relic" under federal law, or is registered under the federal National Firearms Act.
An instrument, including a nunchaku, that consists of two or more sticks, clubs, bars or rods to be used as handles, connected by a rope, cord, wire or chain, in the design of a weapon used in connection with the practice of a system of self-defense.
A breakable container that contains a flammable liquid with a flash point of one hundred fifty degrees Fahrenheit or less and that has a wick or similar device capable of being ignited, or any combination of parts or materials that is designed and intended for use in making such or converting a device into such.
A chemical or combination of chemicals, compounds or materials, including dry ice, that is possessed or manufactured for the purpose of generating a gas to cause a mechanical failure, rupture or bursting or an explosion or detonation of the chemical or combination of chemicals, compounds or materials.
An improvised explosive device, or any combination of parts or materials that is designed and intended for use in making such or converting a device into such.

O teu próprio exemplo mostra que mesmo o estado do Arizona apresentando as leis mais flexíveis e favoráveis, também apresenta limitações, burocracia e controle. Além disso, vagabundo lá não pode conseguir armamento legalmente, portanto, restando apenas o mercado negro para se abastecer.

Sobre Maine, também existem limitações e controles. Em resumo, o cara só pode portar revólveres e pistolas ao ar livre; tem que certificar o estado da compra da arma de fogo em até 15 dias da compra, senão ele está na ilegalidade (existe um órgão público que registra as armas de fogo no estado, como especificações e a numeração, caso ela seja roubada, furtada, extraviada ou apareça em algum crime) e o portador não pode estar alcoolizado (sim, eles fazem bafômetro).

Sobre Vermont, o estado deu liberalidade para os municípios seguirem a sua lei ou não, a exemplo disso, Burlington baniu à comercialização de rifles de assaulto e munições com grande poder de destruição dentro dos seu território no ano de 2013 e Montpelier, a capital do estado, também já havia tentado regulamentar a compra de armas de fogo dentro dos seus limites, mas as leis foram cassadas, atualmente, dentro do Legislativo daquela cidade, existem novos projetos seguindo essa ideia.
Hehehehe, e a flexibilização do porte e da posse no estado de Vermont só se sustenta porque esses direitos estão na Constituição do estado, do século XVIII e anterior a dos EUA. Bem como a Corte Constitucional do estado dá eficácia para esses direitos, inclusive em portar as armas nos limites do estado sem licença. Ou seja, é o Estado que está protegendo esse direito, e não ameaçando ele. E o direito só subsiste porque o estado de Vermont dá eficácia a ele. :yaoming
Mesmo com o controle mais brando, 70% - 75% dos residentes de Vermont (incluindo de outros estados, já que ele autoriza qualquer um que more nos limites a ter armas de fogo) possuem armas de fogo. Novamente, não atingimos o patamar utópico de 100%, mesmo diante de um estado bem liberal neste aspecto. E o direito ao porte e posse podem ser removidos pelo estado no caso de envolvimento com crimes, por exemplo, já que ele não é absoluto.

O ideal é que não houvesse exigência nenhuma. Se um indivíduo pudesse comprar um AK-47 no supermercado, portá-lo sem burocracia.... Mas como vc mesmo reconhece, existem lugares que se aproximam desse ideal, é o caso dos três estados citados....

Quanto às áreas do Arizona, Gun-free zones existe em todos os estados americanos (até porque é lei federal Gun-free Zone Act, não sei, na minha opinião, essa lei viola a Segunda Emenda e o federalismo americano), e ironicamente, são nessas áreas onde geralmente ocorre mass shootings....

Quanto às arma proibidas, segundo o seu próprio link, o Arizona está seguindo National Firearms Act (que infelizmente, todo estado tem que seguir, outra lei que eu acho que viola a Segunda Emenda e o federalismo americano).... De resto, pode comprar sem autorização....

E ninguém disse que se liberar as armas, 100% das pessoas terão armas. Sempre haverá aqueles indivíduos que realmente não querem possuir uma arma. O que eu defendo é que se um indivíduo quiser ter e portar uma arma, ele possa fazer sem burocracia....
[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
Basileus Basileon Escreveu:Por exemplo, o ex-diretor do Mises Brasil já arregou. Entrou com uma reclamatória trabalhista contra o empregador-capitalista-imperialista-opressor, o próprio Instituto. Ué? Cadê o anarcocapitalismo que não precisa do Estado? Cadê as soluções dos conflitos particulares sem o Estado? Por que recorrer aos direitos trabalhistas se eles são "expropriações da atividade empresarial"?
Detalhe que ele pediu justiça gratuita, alegando que não podia custear o próprio processo, kkkkkk. Ou seja, o contribuinte paulistano e o antigo empregador dele (uma pessoa jurídica) terão que arcar com as custas do processo dele, kkkkk. Esse é o fim da turminha anarco-capitalista, falam e falam, mas não saem do Estado e voltam pedindo arrego. Ao menos sejam honestos com a própria ideologia e saiam do Estado, voltem ao tempo das cavernas e do porrete.
Detalhe, 110 mil temerários de verbas rescisórias que o Instituto não pagou, e que saiu acordado. O Instituto pagou e nem ofereceu defesa, kkkkk.

Antes que me chame de mentiroso.
Comentários acerca da petição do cara.
Imagem
Mais imagens.
https://www.reddit.com/r/brasil/comment ... A7%C3%A3o/
Link do processo trabalhista para acompanhar na Internet.
http://consulta.pje.trtsp.jus.br/consul ... id=2979283

Quem mediou o acordo foi o próprio Estado. :yaoming

Além de não sair do Estado, ainda recorrem a ele para resolver os problemas particulares. Da próxima vez chama o Batman.
Este é o fim dos anarquistas: vergonha-alheia, falta de coerência, hipocrisia e recorrer ao Estado-opressor. :yaoming

Ninguém falou sobre anarcocapitalismo aqui. Não sei pq vc insiste nisso....

Quanto ao caso citado, trata-se de um EX-diretor.... Não é mais do IMB... Nem escreve mais no IMB....
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
Thanatos
Tenente
Tenente
Mensagens: 363
Registado: 11 mar 2016, 12:55
Reputação: 0
Brazil

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Thanatos » 26 jun 2016, 20:01

@Homem, a segunda emenda foi feita para [b]permitir que a população se defenda de um governo tirânico, não de ladrões de galinha.[/b] Assim, uma lei que impede a população de ter um destructive device não é uma lei constitucional, pois querendo ou não, seria impossível enfrentar um M1 Abrams com uma arma que não entra na categoria de DD, talvez uma Barrett com munição MK211 Raufoss, possa no máximo danificar os sensores e a lagarta(nada que algumas horas numa oficina não resolva). Agora, o que muitos defensores da lei dizem, é que a lei não impede a posse de armamento pesado. APENAS DIFICULTA

@basileus Basileon eu não estou a par do caso do Mises, mas querendo ou não o estado não permite justiça privada no Brasil, eles defendem justiça privada mas infelizmente não é o que temos. Sendo assim, é justo recorrer ao estado.
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1345
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Homem » 26 jun 2016, 20:58

Thanatos Escreveu:@Homem, a segunda emenda foi feita para [b]permitir que a população se defenda de um governo tirânico, não de ladrões de galinha.[/b] Assim, uma lei que impede a população de ter um destructive device não é uma lei constitucional, pois querendo ou não, seria impossível enfrentar um M1 Abrams com uma arma que não entra na categoria de DD, talvez uma Barrett com munição MK211 Raufoss, possa no máximo danificar os sensores e a lagarta(nada que algumas horas numa oficina não resolva). Agora, o que muitos defensores da lei dizem, é que a lei não impede a posse de armamento pesado. APENAS DIFICULTA

@basileus Basileon eu não estou a par do caso do Mises, mas querendo ou não o estado não permite justiça privada no Brasil, eles defendem justiça privada mas infelizmente não é o que temos. Sendo assim, é justo recorrer ao estado.

Concordo Thanatos. O NFA não deixa de ser uma violação à Segunda Emenda.

Antes do NFA que era bom:

Imagem

Mas no Huezil atual, ter uma legislação como a do Arizona, Maine onde o cidadão pode portar arma sem precisar pedir autorização, mesmo com as restrições do NFA, já é um sonho....
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
Remy LeBeau
Veterano
Veterano
Mensagens: 297
Registado: 13 mar 2016, 23:41
Reputação: 3
Uzbekistan

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Remy LeBeau » 26 jun 2016, 22:18

Homem Escreveu:O ideal é que não houvesse exigência nenhuma. Se um indivíduo pudesse comprar um AK-47 no supermercado, portá-lo sem burocracia.... Mas como vc mesmo reconhece, existem lugares que se aproximam desse ideal, é o caso dos três estados citados....

Quanto às áreas do Arizona, Gun-free zones existe em todos os estados americanos (até porque é lei federal Gun-free Zone Act, não sei, na minha opinião, essa lei viola a Segunda Emenda e o federalismo americano), e ironicamente, são nessas áreas onde geralmente ocorre mass shootings....

Quanto às arma proibidas, segundo o seu próprio link, o Arizona está seguindo National Firearms Act (que infelizmente, todo estado tem que seguir, outra lei que eu acho que viola a Segunda Emenda e o federalismo americano).... De resto, pode comprar sem autorização....

E ninguém disse que se liberar as armas, 100% das pessoas terão armas. Sempre haverá aqueles indivíduos que realmente não querem possuir uma arma. O que eu defendo é que se um indivíduo quiser ter e portar uma arma, ele possa fazer sem burocracia....

É ao contrário, o ideal é que existissem exigências mínimas, necessárias e seguras. Burocracia? Não, mas uma estrutura para dar tranquilidade e segurança para a sociedade, evitando que uma liberdade vire libertinagem, que é sempre um risco. Todos os modelos atuais são estruturados assim, não existe um liberou geral.
Modelos eficientes adotados em países em que as instituições funcionam seguem esse modelo, por que o planeta deveria mudar essa concepção se isto desagrada a uma minoria?

Honduras PROÍBE armas expressamente. Não pode e ponto final. E tem o mesmo tamanho e um número aproximado de habitantes do que a Suíça, que autoriza mediante uma regulamentação. Qual desses dois tem um indíce de violência mais baixo?
Somália, um país que faliu em todos os aspectos, virou uma Guerra Tribal pelo poder, e que o Mercado Negro e potências estrangeiras abastecerem todos os lados (todos armados), funcionou então? Violência zerada porque todo mundo andava armado, comprava arma na rua e era afiliado a um grupo armado?
Não dá. É novamente querer teimar e desafiar o mundo todo só porque o que é adotado não te agrada.

O fato de se aproximarem é justamente para te mostrar que ainda há controle, e que o cara não vai no mercado, compra um galão de água e uma metralhadora e sai andando de boa pela cidade. Isto funciona no video-game, no mundo Real não é assim. Nem mesmo Vermont, que tem as leis mais liberais dos EUA neste aspecto e as taxas de homicídio mais baixas liberou geral. Como eu te mostrei ali, Burlington e Montpelier (capital) já sentiram necessidade de regulamentar a prática, porque na concepção deles não faz sentido liberar irrestritamente a compra de qualquer armamento se as instituições estão funcionando. E detalhe, funcionam porque o Estado está resguardando aquilo e garantindo o direito, e não tolhindo, como os canhotos defendem.

Não ferem por causa do federalismo de lá.
Washington só baixa uma norma bem básica, que serve para os estados que vão liberar. Eles se baseiam nela e podem restringir mais do que a norma autoriza, ou liberar mais do que ela deixa. Ainda assim existem liberdades para que os estados regrem algumas coisas específicas (ex. pena de morte), no caso eles podem instituir regiões em que é proibida mesmo a comercialização de armas (Ainda que o estado autorize). No caso de Vermont, que tem as leis mais liberais, duas cidades já optaram por controlar e restringir um pouco.

Eu não falei que em Arizona só pode comprar com autorização. Eu falei que isso é decidido pelo vendedor. Leia os quadros comparativos de cada uma das páginas, lá informa se a compra deve ser condicionada com autorização do Estado ou não. Caso o Estado não exija, o comprador fica refém do vendedor que libera a compra ou não.
Aí vem a parte mais interessante disso. O Estado NEGOCIA com o empresário e divide a obrigação.
[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
ESTADO: Seguinte, não vou me meter no teu negócio e vou dispensar a autorização. Você vai poder vender tranquilo.
EMPRESÁRIO: Opa, beleza então...
ESTADO: Calma. Vai funcionar assim, eu vou deixar na tua mão a possibilidade de vender ou não, você vai escolher. Eu vou recolher os tributos, mas não vou me meter nas suas escolhas. Só que se vender errado, para quem não deveria, você será responsabilizado

E isso é aplicado e funciona. A lei não obriga o cara a checar os dados públicos do cara, de forma alguma, mas como é público, está à disposição do empresário. Se ele vender para um terrorista do EI, por exemplo, o cara está fudido, vai perder a licença para vender armas.
Então, se o cara não for com a cara do comprador, ele não vende. Se ele vender porque é amigo do cara, e esse último fizer merda, ele tá fudido. O Estado exerce um controle indireto, a posteriori das coisas, e não em cima como em outros estados, a decisão final fica com o comprador.

Lembra? Desestatização. Entes Privados. Solução particular de conflitos. Isto é um exemplo positivo e praticado atualmente.
Ele só vai se intrometer se uma arma comprada foi usada em um crime. Se quem comprou não podia, vai se fuder junto com o vendedor.

Indiretamente isso aconteceu com aquele FPSRussia. Ele tinha uma licença para um fim só, que era usar armas. Ele usava, gravava e etc. Aí o cara começou a vender essas armas, sem ter licença para venda. O Estado foi lá e deteve ele, porque não podia, era uma infração. Aí o cara tirou a licença para venda e possui as duas, a situação foi regularizada e ele pode os dois.
O cara quase se fodeu em 2013 porque um integrante da equipe dele foi assassinado. Até hoje, além de não terem achado o assassino, existe a suspeita de que uma das armas que o FPSRussia vende foi utilizada no crime. Por causa disso ele foi investigado.

100% é o que se presume liberando geral, porque está à disposição de qualquer grupo eleito como apto para comprar. Isso é inconcebível e impraticável, pois, por exemplo, Vermont com uma legislação bem branda, apenas 70%-75% (daqueles que podem) compraram e muitas armas de grosso calibre estão ameaçadas de serem tiradas de circulação em algumas cidades.

Chegamos em um ponto em comum. Defendo o mesmo. Também acho a burocracia desnecessária, porém não coloco a minha mão no fogo em um setor desregulamentado, em que qualquer um, sem nenhum tipo de checagem prévia (seja pelo Estado ou pela Iniciativa Privada), instrução e discernimento, vai lá e compra.
Homem Escreveu:Ninguém falou sobre anarcocapitalismo aqui. Não sei pq vc insiste nisso....

Quanto ao caso citado, trata-se de um EX-diretor.... Não é mais do IMB... Nem escreve mais no IMB....

Sim, é verdade. Mas é apenas mais um exemplo do que acontece com aqueles que pedem o fim do Estado 24/7, e acabam por se deparar com algum problema, e recorrem ao mesmo pedindo a solução deste, e não tentam resolver o B.O na própria iniciativa privada.

Sim, ex-diretor, que ao sair do Instituto não recebeu a verba devida, e que ao invés de resolver isso na iniciativa privada, pois os direitos trabalhistas (curiosos, criados pela Iniciativa Privada e tutelados pelo Estado) não foram pagos pelo Instituto, pediu para o Estado resolver a situação ao invés da inciativa privada, hehehe.
Mas ok, vamos seguir no objeto principal.

Thanatos Escreveu:@Basileus Basileon eu não estou a par do caso do Mises, mas querendo ou não o estado não permite justiça privada no Brasil, eles defendem justiça privada mas infelizmente não é o que temos. Sendo assim, é justo recorrer ao estado.

O que eles defendem então é arbitragem, pois Justiça é com o Estado. As câmaras de arbitragem estão aí, algumas operadas pelos Tribunais e outras pela iniciativa privada (opção de escolha). Era só fazer conciliação com à iniciativa privada, porém recorreram ao Estado, hehehe.
Avatar do Usuário
Thanatos
Tenente
Tenente
Mensagens: 363
Registado: 11 mar 2016, 12:55
Reputação: 0
Brazil

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Thanatos » 26 jun 2016, 23:31

Sobre o exemplo da Somália, eu já demonstrei isto. Ela durante a guerra civil foi MENOS PIOR que o governo socialista e muçulmano. A renda per capta cresceu 3 vezes. É claro que sem respeito a propriedade, com instabilidade, violência, etc; não tem como haver prosperidade, mas por incrível que pareça, uma guerra civil é menos pior que um socialismo.
Avatar do Usuário
Remy LeBeau
Veterano
Veterano
Mensagens: 297
Registado: 13 mar 2016, 23:41
Reputação: 3
Uzbekistan

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Remy LeBeau » 27 jun 2016, 07:10

Thanatos Escreveu:Sobre o exemplo da Somália, eu já demonstrei isto. Ela durante a guerra civil foi MENOS PIOR que o governo socialista e muçulmano. A renda per capta cresceu 3 vezes. É claro que sem respeito a propriedade, com instabilidade, violência, etc; não tem como haver prosperidade, mas por incrível que pareça, uma guerra civil é menos pior que um socialismo.

Este conhecido estudo realizado por economistas, que não é aceito pela comunidade internacional, utiliza como resposta final dados fornecidos pela Somália pós-conflito. Eles chegaram a uma conclusão com os dados de quando o conflito foi pacificado. Não conseguiram sequer convalidar a própria premissa, uma vez que o país não tinha nem Banco Central para emitir moeda mais e os únicos dados oficiais começaram a ser lançados a partir de 2009, quando o Estado retoma o controle. Aí virou achismo: "mas veja bem, o país faliu no final dos anos 80 e quando terminou o conflito os dados eram positivos, então parece que o país estava melhorando no meio do conflito". :sentifirmeza:

A Somália teve 3 anos de estabilidade (2006 - 2009, a partir desse ano saiu de um estado de guerra civil para um de terrorismo doméstico) quando cessou a Guerra Civil, por isso conseguiu levantar dados estatísticos, e os economistas pegaram esses dados e afirmaram que isso era decorrente do conflito. Essa cretinice explica o porquê dos especialistas internacionais (independente da ideologia) rejeitarem este "estudo". Além disso, todos os Organismos Internacionais e Organizações não-Governamentais Internacionais tratam o conflito da Somália (de 1986 até 2009) como genocídio, fora os países que particularmente reconhecem aqueles atos como de genocídio.

O país já estava falido em 1989 com a abertura dos blocos socialistas e já sofria com conflitos étnicos-sociais desde 1986, e a guerra se deu de 92 até 2006/2009 (quando virou insurgência islâmica apenas). O que veio em cima disso foi a estabilidade que o Estado Somaliano conseguiu buscar, isto por mérito próprio e ajuda internacional. Aí sim os dados oficiais foram novamente medidos e os investimentos públicos e privados voltaram, inclusive, com o recolhimento das armas de fogo dos envolvidos, afinal o país acabara de sair de uma guerra.

E o cálculo da renda per capita foi feito com dados oficiais de 2009, e o grosso do conflito cessou em 2006, quando o Estado passou a controlar mais de 2/3 do território.
Tem SÓ 3 anos de diferença aí, com prosperidade nos grandes centros, privatização de órgãos e investimentos estrangeiros, privados e públicos.

Os dados provém do próprio Estado, que venceu uma guerra, centralizou o poder, recolheu o armamento dos rebeldes e fez investimentos por meio de parcerias público-privadas para reconstruir o país. Eles pegaram esses dados e creditaram esses números a um conflito que deixou 300.000 - 500.000 mortos.

Isto quanto ao conflito. Agora quanto ao regime socialista somaliano eu desconheço os pormenores, mas se levar em consideração que ele faliu um Estado e levou a um conflito interno de grandes proporções, já dá para dar uma ideia do quão nefasto e perverso era. E o terrorismo islâmico está presente lá desde a época do conflito e atualmente.
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1345
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Homem » 27 jun 2016, 21:16

Basileus Basileon Escreveu:É ao contrário, o ideal é que existissem exigências mínimas, necessárias e seguras. Burocracia? Não, mas uma estrutura para dar tranquilidade e segurança para a sociedade, evitando que uma liberdade vire libertinagem, que é sempre um risco. Todos os modelos atuais são estruturados assim, não existe um liberou geral.
Modelos eficientes adotados em países em que as instituições funcionam seguem esse modelo, por que o planeta deveria mudar essa concepção se isto desagrada a uma minoria?

Essas "exigências mínimas" só atrapalham a vida do cidadão de bem, bandido jamais se submeterá a essas "exigências mínimas"....É como o estatuto do desarmamento....

Vc nem minarquista é. Vc é estatista mesmo. Os Founding Fathers (que não eram anarquistas), ao contrário de vc, achavam que para a segurança, o direito de possuir e portar armas deveria ser assegurado e não restringido ou burocratizado. Por isso ratificaram a Segunda Emenda:

"A well regulated militia being necessary to the security of a free state, the right of the people to keep and bear arms shall not be infringed."

Qualquer empecilho que vc coloque à posse e ao porte de armas, infringe esse direito do cidadão....
Basileus Basileon Escreveu:Somália, um país que faliu em todos os aspectos, virou uma Guerra Tribal pelo poder, e que o Mercado Negro e potências estrangeiras abastecerem todos os lados (todos armados), funcionou então? Violência zerada porque todo mundo andava armado, comprava arma na rua e era afiliado a um grupo armado?
Não dá. É novamente querer teimar e desafiar o mundo todo só porque o que é adotado não te agrada.

Vc tá querendo dizer que se liberar o porte de armas, o país vai se transformar numa Somália? Vc mesmo vai desmentir essa bobagem.
Basileus Basileon Escreveu:O fato de se aproximarem é justamente para te mostrar que ainda há controle, e que o cara não vai no mercado, compra um galão de água e uma metralhadora e sai andando de boa pela cidade. Isto funciona no video-game, no mundo Real não é assim. Nem mesmo Vermont, que tem as leis mais liberais dos EUA neste aspecto e as taxas de homicídio mais baixas liberou geral. Como eu te mostrei ali, Burlington e Montpelier (capital) já sentiram necessidade de regulamentar a prática, porque na concepção deles não faz sentido liberar irrestritamente a compra de qualquer armamento se as instituições estão funcionando. E detalhe, funcionam porque o Estado está resguardando aquilo e garantindo o direito, e não tolhindo, como os canhotos defendem.

Errado. em Vermont não precisa de licença para portar arma. É só comprar na loja e colocar a arma na cintura, não precisa de licença/autorização... Ou seja, não tem as tais "exigências mínimas" que vc tanto defende e Vermont não se transformou numa Somália, pelo contrário, como vc reconhece, é mais traquilo que outros estados onde tem "exigência mínima"...
Basileus Basileon Escreveu:Eu não falei que em Arizona só pode comprar com autorização. Eu falei que isso é decidido pelo vendedor. Leia os quadros comparativos de cada uma das páginas, lá informa se a compra deve ser condicionada com autorização do Estado ou não. Caso o Estado não exija, o comprador fica refém do vendedor que libera a compra ou não.
Aí vem a parte mais interessante disso. O Estado NEGOCIA com o empresário e divide a obrigação.
[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
ESTADO: Seguinte, não vou me meter no teu negócio e vou dispensar a autorização. Você vai poder vender tranquilo.
EMPRESÁRIO: Opa, beleza então...
ESTADO: Calma. Vai funcionar assim, eu vou deixar na tua mão a possibilidade de vender ou não, você vai escolher. Eu vou recolher os tributos, mas não vou me meter nas suas escolhas. Só que se vender errado, para quem não deveria, você será responsabilizado

E isso é aplicado e funciona. A lei não obriga o cara a checar os dados públicos do cara, de forma alguma, mas como é público, está à disposição do empresário. Se ele vender para um terrorista do EI, por exemplo, o cara está fudido, vai perder a licença para vender armas.
Então, se o cara não for com a cara do comprador, ele não vende. Se ele vender porque é amigo do cara, e esse último fizer merda, ele tá fudido. O Estado exerce um controle indireto, a posteriori das coisas, e não em cima como em outros estados, a decisão final fica com o comprador.

Mas os liberais/libertários defendem a liberdade de discriminar. Se o vendedor não quiser vender a arma porque não vai com cara do comprador, é direito dele vender ou não. Afinal, um ato de compra e venda só pode ser efetuado se ambas as partes concordarem.
Basileus Basileon Escreveu:Sim, é verdade. Mas é apenas mais um exemplo do que acontece com aqueles que pedem o fim do Estado 24/7, e acabam por se deparar com algum problema, e recorrem ao mesmo pedindo a solução deste, e não tentam resolver o B.O na própria iniciativa privada.

Sim, ex-diretor, que ao sair do Instituto não recebeu a verba devida, e que ao invés de resolver isso na iniciativa privada, pois os direitos trabalhistas (curiosos, criados pela Iniciativa Privada e tutelados pelo Estado) não foram pagos pelo Instituto, pediu para o Estado resolver a situação ao invés da inciativa privada, hehehe.
Mas ok, vamos seguir no objeto principal.

Ele não tinha que envolver o estado nisso.
E são poucos os que resistem à tentação de se utilizar das leis do estado, muito poucos...

E isso não refuta o anarcocapitalismo. Seria o mesmo que um ex-administrador de um fórum da real, se apaixonar por uma mulher, voltar para a matrix e passar a defender o oposto do que é ensinado aqui (lembrando que isso já aconteceu, não vou citar o nome mas este cara envolve a polêmica dos shibumanginas) e a partir deste caso, alguém dizer que a Real foi refutada, que todos os que estão registrados aqui no fórum farão assim... É o que vc está fazendo com os anarcocapitalistas....
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1345
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Homem » 27 jun 2016, 21:29

No mais, para quem não notou, a discussão começou com o comentário:
[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
Basileus Basileon Escreveu:Mas nenhum porte é absoluto.
O que ficou romantizado por aí, é que alguns passaram e acreditar que nos EUA ou na Suíça, o cara vai em uma loja, passa o cartão ou paga em dinheiro, e já sai com a arma em riste andando pela cidade de boa com ela.
É feita uma prévia análise de antecedentes criminais do indivíduo, exames psicológicos, recolhimento de taxas (tributos), que pode resultar em uma autorização estatal ou não, aí o cara vai até a loja e compra a arma-de-fogo. Se porventura o cu do cara ficar piscando demais, o vendedor pode se recusar a vender para o indivíduo e ele vai ter que procurar outra freguesia. Além disso, o Estado pode restringir o calibre, autorizando, por exemplo, o cara comprar apenas pistola/revólver, e não um rifle.

E ninguém sai por aí carregando arma-de-fogo, existem locais em que é restrito apenas à utilização em clubes de tiro, profissões que envolvem (seguranças) e na própria residência.

Como o próprio autor do comentário reconhece que há estados americanos onde não é exigido nem autorização/licença para o porte de armas e que estes estados são tranquilos, considero como encerrada a discussão....
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
Commodoro
Patrãozinho
Patrãozinho
Mensagens: 893
Registado: 11 mar 2016, 01:47
Reputação: 31
Portugal

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Commodoro » 28 jun 2016, 21:02

Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé! (2 Timóteo 4:7)

Cristo vence, Cristo reina, Cristo impera.

Homens não são reféns das mulheres, mas reféns da própria libido.

Homem cafajeste merece mulher rodada. Ambos se completam.

Casamento nos moldes modernos é uma roleta russa, mas com todas as balas carregadas.


Alguns dos meus textos: [Reflexão] Lute contra uma vida vazia | [Reflexão] Dê graças a Deus por ter nascido Homem! | A Matrix da promiscuidade |
O corno, a família, o conservadorismo ou "A Vida como ela É" | O ateu conservador ou "O Que é Conservadorismo"? | Lumpemproletariado, violência e desarmamento civil em prol da Revolução

Imagem

✠ † ☨ ✞ ☩ ✙ ☧ ✚ ✟ ♰
Avatar do Usuário
Thanatos
Tenente
Tenente
Mensagens: 363
Registado: 11 mar 2016, 12:55
Reputação: 0
Brazil

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Thanatos » 28 jun 2016, 21:47

Commodoro Escreveu:https://www.facebook.com/308962069233228/photos/a.308969815899120.1073741826.308962069233228/893321327463963/?type=3&theater


Entre :

- Uma hora dirigindo e atirando com qualquer veículo Russo
- Uma hora de sexo com a Natália

Qual vocês escolheriam?
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1345
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Homem » 28 jun 2016, 22:16

À medida que os estados americanos liberaram o porte de armas, o número de homicídios declinou

Antes da Florida, em poucos estados era relativamente fácil ao cidadão comum portar arma escondida legalmente. Destes poucos, Vermont que nunca regulamentou portar arma escondida — embora seja ilegal portar uma arma de fogo (aberta ou oculta) nas escolas, no tribunal.

Até 1986, menos de 10% da população americana vivia em estados onde havia procedimentos objetivos e justos para a emissão de licenças de porte de arma escondido. Cerca de 1/3 da população vivia em estados onde não havia sequer um processo para solicitar uma autorização. A maioria da população vivia em estados onde a emissão de licenças era altamente discricionária, e muitas autoridades emissoras recusava emitir a cidadão de bem. Tendo adoptado o a Lei de Pistolas e Revólveres Uniformes em 1935, o estado de Washington (não confundir com a capital Washington) se tornou um dos primeiros estados a reverter o curso em 1961 quando, “exigiu que, se o requerente de uma licença de arma escondida fosse permitido, a possuir uma arma sob a lei Washington, a autorização teve que ser emitida” (Cramer & Kopel, p. 687).

Em 2014, o percentual de pessoas que vivem nos estados vermelhos, sem possibilidade de solicitar uma autorização, reduziu-se a zero.

Ano e Estados em que o porte de armas foi legalizado:

1961: Estado de Washington
1980: Indiana
1985: Maine e Dakota do Norte
1986: Dakota do Sul
1987: Flórida
1989: Oregon, Pensilvânia, Virgínia Ocidental, Georgia
1990: Idaho
1991: Mississippi, Montana
1994: Alaska, Arizona, Tennessee, Wyoming
1995: Arkansas, Nevada, Carolina do Norte, Oklahoma, Texas, Utah, Virginia
1996: Kentucky, Louisiana, Carolina do Sul
2001: Michigan
2003: Colorado, Minnesota, Missouri, Ohio
2004: New Mexico
2006: Kansas, Nebraska
2010: Iowa
2011: Wisconsin
2013: Alabama, Illinois

Imagem

https://gunculture2point0.wordpress.com ... led-carry/

https://www.washingtonpost.com/news/vol ... -to-carry/

Imagem

https://gunculture2point0.wordpress.com ... 1986-2014/

Observe os números de violência nos EUA:

No final dos anos 80, quando na maioria dos estados não era possível obter uma autorização para portar arma, o número e a taxa de homicídios dos Estados Unidos era alta. Depois que muitos estados americanos passaram a liberar o porte de armas, a partir de 1994, os números de homicídios e crimes violentos começou a declinar nos Estados Unidos:

http://www.disastercenter.com/crime/uscrime.htm
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
Commodoro
Patrãozinho
Patrãozinho
Mensagens: 893
Registado: 11 mar 2016, 01:47
Reputação: 31
Portugal

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Commodoro » 29 jun 2016, 16:49

Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé! (2 Timóteo 4:7)

Cristo vence, Cristo reina, Cristo impera.

Homens não são reféns das mulheres, mas reféns da própria libido.

Homem cafajeste merece mulher rodada. Ambos se completam.

Casamento nos moldes modernos é uma roleta russa, mas com todas as balas carregadas.


Alguns dos meus textos: [Reflexão] Lute contra uma vida vazia | [Reflexão] Dê graças a Deus por ter nascido Homem! | A Matrix da promiscuidade |
O corno, a família, o conservadorismo ou "A Vida como ela É" | O ateu conservador ou "O Que é Conservadorismo"? | Lumpemproletariado, violência e desarmamento civil em prol da Revolução

Imagem

✠ † ☨ ✞ ☩ ✙ ☧ ✚ ✟ ♰
Avatar do Usuário
Remy LeBeau
Veterano
Veterano
Mensagens: 297
Registado: 13 mar 2016, 23:41
Reputação: 3
Uzbekistan

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Remy LeBeau » 30 jun 2016, 12:49

Homem Escreveu:Essas "exigências mínimas" só atrapalham a vida do cidadão de bem, bandido jamais se submeterá a essas "exigências mínimas"....É como o estatuto do desarmamento....

Vc nem minarquista é. Vc é estatista mesmo. Os Founding Fathers (que não eram anarquistas), ao contrário de vc, achavam que para a segurança, o direito de possuir e portar armas deveria ser assegurado e não restringido ou burocratizado. Por isso ratificaram a Segunda Emenda:

"A well regulated militia being necessary to the security of a free state, the right of the people to keep and bear arms shall not be infringed."

Qualquer empecilho que vc coloque à posse e ao porte de armas, infringe esse direito do cidadão....

Muito pelo contrário, são essas exigências mínimas modelos de segurança e garantias de que uma liberdade, proveniente de um direito, não vire uma grande putaria. E não sou eu exclusivamente que defendo esse modelo, mas qualquer país nos dias de hoje. Vá para a Suíça ou vá para os EUA, qualquer um deles apresenta. Só na sua cabeça que nos dias de hoje não haveria nenhum controle e tudo estaria ao Deus dará.
Até mesmo os teus "exemplos" jogados aqui foram desmentidos, as legislações mais flexíveis e liberais continuam a apresentar restrições e controle, e ainda assim a coisa funciona.
Sobre os bandidos, até mesmo em um modelo de restrição total o mercado negro opera, ao passo que em um modelo de liberação geral, o mercado negro também continuará a operar. Já falei que lá, exemplos de legislações bem liberais, tu continua a ter um mercado negro de armamento proveniente da iniciativa privada, quanto de entes estatais, para abastecer o mercado interno e, principalmente, externo.

Claro que sou estatista sim, é tu aqui que não quer sabe de Estado, mas continua inserido dentro de um e dependente que ele preste alguma de suas funções essenciais, como qualquer outro ser humano. E só na sua imaginação que um Estado Mínimo opera sem a figura de um Estado, ou que ele exista sem um.

Eles emendaram a Constituição para dizer que o Estado reconheceria o direito de possuir e portar armamento, e que tal direito não poderia ser tolhido. Só que o modelo federalista de lá permite que os estados locais tenham a opinião final sobre isso, e alguns estados manteram esse direito, outros retiraram, e isso é constitucional de acordo com a ordem jurídica de lá. O fato de regulamentar não impede nenhum direito. Parece que você não entende a diferença entre "regulamentar" e "impedir". Seria diferente se amanhã tal direito fosse removido em larga escala, aí se trataria de inconstitucionalidade, mas tais medidas não passam, e tentaram, sem sucesso, recentemente.
Não infringe porque o direito não foi removido, apenas disciplinado e assegurado pelo próprio Estado.

Homem Escreveu:Vc tá querendo dizer que se liberar o porte de armas, o país vai se transformar numa Somália? Vc mesmo vai desmentir essa bobagem.

Quote o trecho inteiro, ele é autoexplicativo.
Criaram a concepção de que se liberasse geral o porte e posse, no dia seguinte tudo seria lindo e maravilhoso, e na Somália "liberaram" dessa forma (na verdade, esse era o contexto lá). Tinha arma pra todo mundo, seja no mercado negro, ou potências estrangeiras abastecendo seus grupos armados, desde crianças, adultos e até idosos, homens, mulheres... Todo mundo tinha armamento e todo mundo tinha um grupo armado para se associar, desde exército, terroristas, milícias e cidadãos só tentando se defender e sobreviver, uma completa descentralização, e o que ocorreu? Um genocídio. Fora que nem Estado somaliano existia mais praticamente, porque ele já havia falido anos antes.
Tá aí um exemplo crível: sem Estado e porte/posse liberado geral que resultou em um genocídio. E não tem nem 30 anos que isso ocorreu.

Homem Escreveu:Errado. em Vermont não precisa de licença para portar arma. É só comprar na loja e colocar a arma na cintura, não precisa de licença/autorização... Ou seja, não tem as tais "exigências mínimas" que vc tanto defende e Vermont não se transformou numa Somália, pelo contrário, como vc reconhece, é mais traquilo que outros estados onde tem "exigência mínima"...

Errado.
1) Eu não falei que lá precisa de licença, falei que a venda é regulada pelo próprio mercado graças à uma negociação feita entre o Estado e o ente privado. Se o ente privado realizar uma venda errada, ele é punido junto com o infrator, por isso a própria iniciativa privada se fiscaliza. E ainda elogiei e falei que isso funciona;
2) No seu próprio exemplo, ainda que ele seja o mais liberal possível, o Estado ainda controla quais calibres são liberados, quais armamentos podem ser disponibilizados pela venda. É só para te mostrar que até mesmo no modelo mais liberal possível dos EUA, tal direito ainda não é absoluto, o Estado não obsta, apenas controla e ainda fiscaliza. Não é todo mundo que pode, e quem comete crime usando uma arma legalmente comprada, perde o direito do porte e da posse;
3) Você não conseguiu contrariar o fato de que a capital do estado e uma cidade do interior decidiram restringir calibre pelo fato de que o sistema local já é mais do que eficiente, e não haveria necessidade de que os cidadãos que lá estão portem e possuam determinados calibres restritos.

E na legislação mais liberal e abrangente dos EUA, só 70% - 75% da população masculina e feminina que a lei autoriza comprar possui armas de fogo. Nem no modelo mais liberal possível é atingido o montante de 100% do grupo que em tese poderia possuir armas de fogo.

Vermont não virou uma Somália graças aos entes estatais (municípios - Vermont - EUA) que legislam sobre a matéria, fiscalizam, controlam e garantem não só a ordem, como o direito.

Homem Escreveu:Mas os liberais/libertários defendem a liberdade de discriminar. Se o vendedor não quiser vender a arma porque não vai com cara do comprador, é direito dele vender ou não. Afinal, um ato de compra e venda só pode ser efetuado se ambas as partes concordarem.

Não entendi o quote.
Mencionei o fato porque é um "acordo" (na verdade é proveniente da legislação e do Judiciário local) entre o Estado e a iniciativa privada e que isto funciona.
A lei diz expressamente que ela não obriga o ente privado a checar dados públicos/particulares (alguns estados que reconhecem o direito a posse/porte obrigam isso para realizar à venda), deixando esses atos na mão do vendedor para fazer ou não. Se por acaso uma arma vendida é utilizada em algum crime, e haviam informações suficientes para antecipar que essa cagada pudesse acontecer, o vendedor está fudido.

Homem Escreveu:Ele não tinha que envolver o estado nisso.
E são poucos os que resistem à tentação de se utilizar das leis do estado, muito poucos...

Sim, concordo com você.

Homem Escreveu:E isso não refuta o anarcocapitalismo. Seria o mesmo que um ex-administrador de um fórum da real, se apaixonar por uma mulher, voltar para a matrix e passar a defender o oposto do que é ensinado aqui (lembrando que isso já aconteceu, não vou citar o nome mas este cara envolve a polêmica dos shibumanginas) e a partir deste caso, alguém dizer que a Real foi refutada, que todos os que estão registrados aqui no fórum farão assim... É o que vc está fazendo com os anarcocapitalistas....

Refuta.
Anarquia presume ausência de Estado e estruturas de Estado, tudo na mão de uma comunidade de indivíduos.
Anarco-capitalismo presume o mencionado estado de anarquia, mas na mão das leis de mercado (capitalismo), em resumo.

Não há estruturas de Estado para a solução de conflitos nesse modelo, nem para tutelar eventuais garantias que ficam na mão da comunidade (como um direito a posse/porte). Se ele tinha um problema que se originou na iniciativa privada, segundo a lógica dele, deveria ter resolvido ali. O que ele fez é contraditório, recorreu à direitos que são garantidos e tutelados pelo Estado e fez uso de uma estrutura do Estado para garantir que esses direitos fossem respeitados, graças ao poder de coerção do Estado.

Sim. É contraditório. Sim, refuta todo o ideal anarcocapitalista, mas não refuta o Estado-Mínimo, pois a Justiça integra uma das bases e funções do Estado.

No caso das armas, o direito à posse/porte está no texto constitucional dos EUA, que só é a norma superior e a lei fundamental de um Estado. Ou seja, é a lei mais importante e a lei que institui um Estado, e está lá para que ele cumpra e garanta aquele direito. Logo, quem defende o direito à posse e ao porte de armas de fogo, necessariamente defende a figura de um Estado, salvo se tal prerrogativa fosse oriunda de uma convenção social, que é o que a anarquia quer. Existe algum país, atualmente, que garante à posse e o porte de armas de fogo sem uma constituição ou uma lei para tal fim, deixando isso na mão de um agrupamento humano? Não.

Negar o Estado e pedir o reconhecimento ou o cumprimento de um direito é contraditório, pois o Estado se institui para isso. Seria lógico (de acordo com esse modelo), defender então convenções sociais para criar obrigações e garantias, mas sem forma de lei e sem um Judiciário para garantir isso, pois são figuras que formam e embasam um Estado. Só que essas convenções não subsistem mais no mundo de hoje. Fora que para resolver um conflito oriundo de uma convenção, teria que ser (de acordo com essa lógica) tudo de forma privada, sem nenhum terceiro para mediar, conciliar ou dizer quem está certo.
Boa sorte pra quem quer viver em um modelo utópico desses, especialmente nos dias de hoje.

Foi o que ocorreu no caso ali do Mises Brasil, e o que normalmente ocorre: contradição, quando não uma autorefutação.

Se você for no mínimo coerente agora, ou se assume como um estatista, ou terá que renunciar à defesa do direito à posse e ao porte de armas de fogo, pois tais figuras dependem de um Estado, já que são direitos e tu se diz contrário ao Estado, portanto não coaduna. Isto sob pena de entrar em contradição e não passar de um hipócrita.
Última edição por Remy LeBeau em 30 jun 2016, 13:34, editado 1 vez no total.
Avatar do Usuário
Remy LeBeau
Veterano
Veterano
Mensagens: 297
Registado: 13 mar 2016, 23:41
Reputação: 3
Uzbekistan

Re: Tópico das Armas

Mensagempor Remy LeBeau » 30 jun 2016, 13:11

Homem Escreveu:Como o próprio autor do comentário reconhece que há estados americanos onde não é exigido nem autorização/licença para o porte de armas e que estes estados são tranquilos, considero como encerrada a discussão....

Se quer cogitar discutir o assunto usando como modelo o exemplo dos EUA, ao menos estude que todo o embasamento do direito ao porte e à posse tem origem constitucional, ou, apenas a lei mais importante que consolida e fundamenta um Estado, obrigando este a respeitar, resguardar e tutelar direitos, como o que discutimos aqui. O próprio Estado é fundado em conjunto deste direito, e irá atuar para garanti-lo, fiscalizá-lo e cumpri-lo.
Fora que dentro deste país, o modelo local permite legislações liberais, que ainda apresentam fiscalizações e controle; legislações rígidas e legislações proibitivas. Mas você jamais irá admitir que mesmo em Vermont há fiscalização, regras e controle, e nem o grupo que a lei autoriza a possuir e portar atingiu a taxa de 100%, e sim entre 70% a 75%. Paciência, era o seu teto de vidro.

Uma defesa passional do direito ao porte das armas de fogo, passa, obrigatoriamente, pela defesa de um Estado que garanta tal direito, resguarde, tutele, fiscalize e controle. Você precisa do Estado para tal direito, de modo que ele reconheça essa prerrogativa, respeite, tutele e conserve. Caso contrário só através de uma convenção social, mas conforme o exemplo do Mises Brasil, os anarco-capitalistas sequer conseguem resolver questões trabalhistas sem o Estado, não é mesmo? Afinal, necessitam que ele tutele tais direitos, resolva conflitos particulares e que use do seu poder de coerção para fazer valer a sua decisão... Que dirá uma questão dessa magnitude.

Você não passa de um alguém contraditório, que não sabe o que quer e balança de um lado para o outro tentando extrair o que há de útil e agradável em cada modelo, para tentar alimentar essa concepção de uma sociedade utópica que só existe, e existirá, na sua imaginação.

Voltar para “Taverna”

Quem está logado:

Usuários neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante