Se registrou agora? é obrigatório se apresentar neste tópico em menos de 24 horas, sob pena de exclusão: [Novatos] Apresente-se aqui.

OBS.: Para participar do Chat, ver perfis e acessar o sub-fórum Relatos & Relacionamentos você precisa se cadastrar no Fórum. Os tópicos dessa seção não aparecem no box de mensagens recentes abaixo.

[Plantão] Poste notícias aqui

Discussões com temáticas realistas e afins
Avatar do Usuário
Schrödinger
Membro VIP
Membro VIP
Mensagens: 489
Registado: 27 abr 2017, 20:53
Reputação: 10
Brazil

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor Schrödinger » 20 mar 2018, 22:53

É por isso que eu ando "aliviando" para as mulheres. Pelo menos no discurso elas evoluíram muito nos últimos anos. Pelo menos na minha realidade local.
Se você está aqui pra aprender a agradar mulher, você é um filho da puta, aqui não é o teu lugar. Enfia o teu rabo no meio das pernas e saia daqui.
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1336
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor Homem » 25 mar 2018, 11:54

Facebook tira do ar página e perfis associados à onda de fake news contra Marielle

Rede social diz que perfis falsos ferem as normas

por Gabriel Cariello / Marco Grillo
24/03/2018 14:46 / Atualizado 24/03/2018 16:42


RIO - Após reportagens publicadas pelo GLOBO, o Facebook tirou do ar neste sábado uma página e dois perfis associados à disseminação de fake news contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada na semana passada. Os perfis Luciano Ayan e Luciano Henrique Ayan foram identificados como falsos e apagados, por contrariarem as normas do Facebook. Já a página Ceticismo Político também foi apagada, por ser administrada por um perfil falso, o de Ayan. Na sexta-feira, reportagem do GLOBO revelou que uma publicação do Ceticismo Político foi a principal responsável por impulsionar a onda de acusações falsas contra Marielle, ao usar a publicação de uma desembargadora que estabeleceu uma falsa relação de Marielle com um traficante e uma facção do crime organizado. A mensagem foi compartilhada mais de 360 mil vezes no Facebook e foi replicada - e depois apagada - pelo Movimento Brasil Livre (MBL), ampliando ainda mais o alcance das falsas acusações.

Imagem

- Nossos padrões da comunidade não permitem perfis falsos, e contamos com nossa comunidade para denunciar contas assim. Páginas administradas por perfis falsos também violam nossas políticas - informou o Facebook ao GLOBO, em comunicado.

Uma página antiga do Ceticismo Político, que deixou de ser atualizada em fevereiro e tem menos alcance que a página apagada ainda permanece no ar.

Diretor da Bites, empresa de consultoria tecnológica, Manoel Fernandes disse ser improvável que o Ceticismo Político tenha feito uso de robôs para criar a repercussão alcançada. O especialista observou que a publicação foi distribuída por pessoas e grupos com alta influência nas redes, como o próprio MBL e Kim Kataguiri, um de seus líderes.



Segundo uma análise da Bites, o Ceticismo Político tem uma média mensal de 460 mil visitantes únicos por mês, sendo que 93% de seu tráfego de leitores tem origem nas redes sociais. Oitenta por cento dos acessos são feitos pelo Facebook. O domínio do site, registrado por uma empresa da Dinamarca, pertence a Luciano Henrique Ayan, nome sem referências em bancos de dados públicos.




https://oglobo.globo.com/rio/facebook-t ... e-22523575
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1336
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor Homem » 02 mai 2018, 12:58

Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) mantém condenação de homem por infidelidade conjugal que expôs ex-mulher a situação vexatória

por BEA — publicado em 27/04/2018 18:50

A 7ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, por unanimidade, negou provimento ao recurso do réu e manteve a sentença que o condenou ao ressarcimento dos danos morais causados à autora, por tê-la exposto à situação humilhante ao dar ampla publicidade à sua relação extra-conjugal.

A autora ajuizou ação na qual argumentou ter sido casada com o réu, mas teria pedido o divórcio em razão do comportamento de traição constante e público que o réu insistia em ostentar. Segundo a autora, a mesma teve uma gestação de risco agravada pelas humilhações e aflições que passou em razão do comportamento de traição do réu. Seu estado emocional foi extremamente abalado, ao ponto de resultar em um parto prematuro, de um bebe muito frágil, que veio a falecer após 4 dias do parto.

O réu apresentou defesa e argumentou contra todas as alegações que lhe atribuíam a responsabilidade pelo sofrimento emocional da autora.

A sentença proferida pelo juiz titular da 1ª Vara Cível de Ceilândia julgou o pedido da autora parcialmente procedente e condenou o réu ao pagamento de R$ 5 mil, pelos danos morais causados, e registrou: “Assim, para a responsabilização civil de um dos consortes não basta violação dos deveres do casamento, é necessário um comportamento ilícito de sua parte que desborde dos limites do razoável, considerando os padrões de ética e moral, e que seja capaz de gerar efetivo dano ao outro. Desse modo, nas provas trazidas a baila pela autora ficou demonstrado que o réu não respeitou os deveres inerentes ao casamento, haja vista que na constância da vida conjugal com a autora, o requerido teve relacionamento extraconjugal. Mas o fato de manter um relacionamento fora da constância do casamento, por si só, não é causa suficiente para ocorrer a reparação. Dessa maneira, a publicidade do relacionamento extraconjugal impôs a autora um vexame social e ensejou humilhação que extrapolou o limite do tolerável, ou seja, entendo que as ofensas desferidas contra a autora atingiram certa publicidade, maculada a honra e a imagem da vítima no seio social (vizinhança) e familiar, pois as fotos publicadas possuem caráter depreciativo da honra da autora, bem como ofende direitos inerente à sua personalidade, haja vista que demonstra que o réu realizou a conduta de manter relação extraconjugal na constância do matrimônio, ensejando, assim, a reparação do dano sofrido pela autora”.

Inconformado, o réu apresentou recurso, mas os desembargadores entenderam que a sentença deveria ser mantida e registraram: “Entretanto, tal como ocorre no inadimplemento contratual, o simples descumprimento do dever jurídico da fidelidade conjugal não implica, por si só, em causa para indenizar, apesar de consistir em pressuposto, devendo haver a submissão do cônjuge traído a situação humilhante que ofenda a sua honra, a sua imagem, a sua integridade física ou psíquica(...) No caso concreto, essa situação excepcional ficou demonstrada pelas fotografias de fl. 36 e o áudio de fl. 68, que comprovam a violação dos deveres jurídicos e a ofensa. Consta a juntada de um CD em réplica à contestação que veio confirmar as alegações da apelada, juntamente às fotografias de fl. 36, não contestadas quanto ao fato de o apelante se exibir em bares e restaurantes entre seus familiares, conforme dito na petição inicial (fl. 03), onde se vê também uma mulher a seu lado, que seria a amante”.


http://www.tjdft.jus.br/institucional/i ... humilhante
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
St. Cloud
Major
Major
Mensagens: 665
Registado: 12 mar 2016, 11:11
Reputação: 5
Italy

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor St. Cloud » 02 mai 2018, 15:36

Prédio que desabou não tinha condições mínimas de segurança contra incêndio, aponta relatório da Prefeitura de SP

Documento do ano passado aponta ausência de extintores, mangueiras nem luzes de emergência.

O prédio que desabou no Largo do Paissandu, no Centro de São Paulo, não tinha condições mínimas de segurança contra incêndio, segundo relatório da Prefeitura obtido com exclusividade pela TV Globo. O documento foi finalizado pela Secretaria Municipal de Licenciamento em 26 de janeiro do ano passado.

O edifício Wilton Paes de Almeida, de 24 andares, pegou fogo e desabou na madrugada de terça-feira (1º). O local era uma ocupação irregular, e moradores afirmam que o fogo começou por volta da 1h30 no 5º andar e se espalhou rapidamente pela estrutura.

Veja o que o documento indicou:

Ausência de extintores;
Sistema de hidrantes inoperante;
Ausência de mangueiras;
Ausência de luzes de emergências;
Ausência de sistema de alarme;
Instalações elétricas irregulares: fios sem isolamento adequado e expostos, além entrada de energia improvisada;
Elevadores inoperantes e fechados por tapumes;
Ausência de corrimões nas escadas;
Instalações do sistema de para-raios não puderam ser avaliadas, pois acesso estava bloqueado.
Após indicar esses nove pontos, o relatório conclui que "a edificação não reúne condições mínimas de segurança contra incêndio".

"Trata-se de uma edificação ocupada por movimento social, onde os equipamentos de prevenção e combate a incêndio, ou foram retirados ou estão inoperantes. As instalações elétricas não atendem as normas técnicas tendo sido feitas uma serie de improvisações", afirma o documento, assinado pelos engenheiros Ornelino José C. Lopes e Silvio Tadeu Vuoto.

O Ministério Público recebeu o relatório, mas decidiu arquivá-lo.

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/notic ... e-sp.ghtml
"Aquele que nunca acredita jamais será enganado" (N. A)
Avatar do Usuário
SOMBRIO
Soldado
Soldado
Mensagens: 90
Registado: 04 mar 2018, 14:29
Reputação: 11
Brazil

Re: Últimas notícias

Mensagempor SOMBRIO » 02 mai 2018, 17:01

Remy LeBeau Escreveu:Notícia antiga de 2012, mas que passou batido por todos e que vale a pena ser lida! :yaoming

Jogo de tabuleiro polonês recria o inferno de fazer compras na era comunista.

[+] TEXTO/IMAGEM ESCONDIDO
Imagem

Poloneses estão fazendo fila para comprar um novo jogo de tabuleiro chamado "Kolejka" (A fila), que recria a experiência tediosa de fazer compras na Polônia comunista. Filas de pessoas, algumas que ainda eram crianças nos tempos de comunismo, e outras que nem haviam nascidas, se formam em frente ao Instituto da Memória Nacional (IPN) para comprar o jogo. "Eu sou muito jovem para me lembrar. Estou tentando encontrar uma maneira de explorar este período da história. Estou interessada na história do país e na história do meu pai ", disse Anna Moronczyk, enquanto aguardava na fila com seu filho de 17 meses de idade para obter uma cópia. O IPN é a casa dos arquivos da era comunista da Polônia e investiga os crimes de esse período. Ele também promove a consciência daquele tempo, e inventou o jogo como uma ferramenta educacional para ensinar jovens poloneses sobre a história de uma forma divertida. Metade do primeiro lote está sendo reservado para as escolas.

Imagem

"Esperamos que ele mostre aos jovens poloneses o quanto era difícil comprar suprimentos diários como açúcar, pão ou móveis", disse Karol Madaj, designer do jogo. Ele tinha apenas nove anos quando o comunismo terminou na Polônia em 1989, então teve que procurar dicas sobre aqueles dias com seu chefe mais velho. "Alguns jovens poloneses não acreditam que havia filas nesse tempo. Você pode ver isso escrito em fóruns na internet. Eles pensam que as filas começavam quando as lojas de departamento começavam as vendas ", ele acrescenta. Para provar que as filas existiam, minutos antes Karol exibiu um documentário em preto-e-branco de pessoas fazendo fila em açougues, na esperança de conseguir um corte de carne.

Imagem

O ministro da educação polonês, Grzegorz Zurawski, reconhece que atualmente há pouco ou nenhum enfoque sobre a histórica recente da Polônia nas escolas. Apenas nas últimas semanas do último ano de ensino médio, que o tema é apresentado aos alunos. "Estamos mudando a nossa maneira de ensinar a história recente, porque sabemos agora que muitos jovens poloneses não sabem nada sobre esse período ", disse ele. O ministério planeja introduzir um novo currículo em 2012, que reflete uma maior ênfase na história do século 20. O jogo vem em uma caixa projetada para parecer que foi embrulhado em um envelope e amarrado com corda. Na parte superior há carimbos e cupons, que as autoridades comunistas emitiam para que eles pudessem racionar itens como carne.

De 2 a 5 jogadores competem para ser o primeiro a comprar os 10 itens em sua lista de compras. Jogadores podem enviar membros da família, representadas por figuras de madeira coloridas, para guardar lugar em outras lojas que vendem autênticos produtos dos anos 80, como um gravador de fita, presunto enlatado ou o chá "Popularna", que prometia "o céu na sua boca ".

O problema é que as prateleiras das lojas do bairro estão vazias, e os jogadores devem saber em qual loja vai chegar um carregamento.

Uma vez que uma entrega chega, só há estoque suficiente para as pessoas que estão na frente da fila para fazer compras. Existem "Cartões de ajuda", que auxiliam os jogadores a furar a fila, como uma que mostra uma mãe carregando um bebê ou outra, que dá informações privilegiadas sobre uma entrega, graças a um contato no Partido Comunista. Também é possível comprar no mercado negro, onde tudo é duas vezes mais caro que o preço normal.

Imagem

Alguns que estavam na fila, não aguentaram chegar em casa para jogar, e foram a um espaço especialmente preparado no edifício da IPN para testar o jogo ali mesmo. "Foi exatamente assim", disse Piotr Zochowski, 44, que jogou o jogo com sua esposa e três filhos. "... Você tinha uma fila para tudo. Eu me lembro quando era pequeno, e comprei sapatos com cupons. Os únicos que eu poderia comprar tinham cerca da metade do tamanho normal, e eram muito pequenos - mas não houve outros, então eu tive que comprá-los", disse ele.

Imagem

Na mesa ao lado, os estudantes Ania, Lukasz e Maria, que estavam felizes, e se descreviam como "especialistas de jogos de tabuleiro", disseram que Kolejka superou às expectativas. "É bem projetado, parece bom, poderia ser um jogo-produzido comercialmente", disse Lukasz. Dos três, apenas Lukasz tinha nascido quando o comunismo terminou na Polônia em 1989, mas todos lembravam dos produtos daquele tempo. "Eu tive esse tocador de fitas", disse Ania. "E eu tive essa lâmpada", disse Maria, apontando para um abujor de luz laranja feito metal com um suporte flexível. "Todo mundo teve esse abajur", acrescentou.

Fonte: http://www.bbc.com/news/world-europe-12380433 (Fiz uma tradução porca)

O jogo foi lançado a nível comercial, sim, e traduzido para o inglês. Tem no ebay e no amazon (pequise por "Kolejka board game") para importar
Mais informações (em inglês): https://en.wikipedia.org/wiki/Kolejka_%28game%29

Pra variar, o jogo está em vias de ser banido na Rússia por "ofender a história Soviética" (em inglês): http://qz.com/646871/russia-banned-a-po ... -shopping/
O governo russo está pressionando a distribuidora Trefl, para que remova o jogo do mercado, sob pena de que todos os seus produtos sejam banidos da Rússia.

Ótimo passatempo com aquele(a) conhecido(a) esquerdinha-caviar. :troll


A maioria dos ditadores comunistas sabem dar golpe de estado, se manter no poder, mas não sabem gerenciar a economia.
Falta produtos porque consomem mais do que produzem.
Prefiro Jogar Show do Milhão.
Avatar do Usuário
Baralho
Veterano
Veterano
Mensagens: 271
Registado: 13 mai 2016, 22:53
Reputação: 2
Brazil

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor Baralho » 03 mai 2018, 23:15

Fosse dono de escola importava esse joguinho pra ser parte do programa didático.

Enquanto não tivesse a licença cassada pelo Mec, lógico.
Thou shouldst not have been old before thou hadst been wise.
Avatar do Usuário
Hombre de hielo
Membro VIP
Membro VIP
Mensagens: 749
Registado: 12 mar 2016, 12:25
Reputação: 6
Brazil

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor Hombre de hielo » 07 mai 2018, 16:55

Que praga as encalhadas soltaram!

Helicóptero que transportava noiva cai e três ficam feridos em Vinhedo; VÍDEO

https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/helicoptero-que-transporta-noiva-cai-em-vinhedo-diz-pm.ghtml
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1336
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor Homem » 07 mai 2018, 19:15

Imagem
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
Commodoro
Patrãozinho
Patrãozinho
Mensagens: 881
Registado: 11 mar 2016, 01:47
Reputação: 29
Portugal

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor Commodoro » 08 mai 2018, 16:58

Trump anuncia retirada dos EUA de acordo nuclear com o Irã

Presidente diz que 'Irã é o principal estado patrocinador do terrorismo' e que busca por armas nucleares é seu ato mais perigoso. Sanções 'do mais alto nível' também serão restauradas, segundo Trump.

Donald Trump, anunciou nesta terça-feira (8) que decidiu abandonar o acordo nuclear firmado com o Irã, retomando as sanções contra o país. Trata-se de uma das mais contundentes decisões de política externa do americano em seus 15 meses de governo.

Imagem

Durante o anúncio, Trump afirmou que "o Irã é o principal estado patrocinador do terrorismo" e que nenhuma ação desse país foi mais perigosa do que sua busca por armas nucleares.

O acordo, negociado pelo antecessor de Trump, Barack Obama, fez o Irã se comprometer a limitar suas atividades nucleares em troca do alívio em sanções internacionais.

O presidente iraniano Hassan Rouhani já havia dito no domingo que a saída americana do acordo faria com que os Estados Unidos tivessem um "arrependimento histórico".

Em seu discurso, Trump disse ainda que o acordo de 2015 deveria proteger os EUA e seus aliados, mas permitiu que o Irã continuasse enriquecendo urânio. Segundo ele, o país estaria próximo de obter armas nucleares e lançar uma corrida armamentista no Oriente Médio, com outras nações querendo seguir seu exemplo e também buscando programas nucleares.

O presidente confirmou ainda que irá reinstaurar sanções "do mais alto nível" sobre o Irã e disse que outros países também poderão ser sancionados.

Ele não descartou, porém, um novo acordo com o Irã, afirmando que pretende encontrar uma solução "real e duradoura" à ameaça nuclear e dizendo que o próprio Irã irá desejar um novo acordo.

De acordo com a Reuters, a TV estatal iraniana afirmou que a decisão de Trump é ilegal, ilegítima e enfraquece acordos internacionais. Ainda na TV, o presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse que os Estados Unidos nunca cumpriram seus compromissos e que a decisão de Trump foi uma "experiência histórica" para os iranianos.

Sanções

O Departamento do Tesouro dos EUA informou que irá iniciar períodos de desaceleração de atividades envolvendo o Irã em setores afetados pelas sanções. Ao final desses períodos, as sanções voltarão a ter efeito total.

Entre os exemplos, estão um período de 90 dias para a compra de dólares americanos pelo Irã, para as negociações prévias de metal, alumínio, aço e carvão e no setor automotivo.

O mesmo período será aplicado para aeronaves comerciais de passageiros, peças e serviços e licenças gerais e autorizações relacionadas a exportações do setor aéreo. Transações no setor petrolífero terão um prazo maior, de 180 dias.

Abandono prometido

Trump se recusou duas vezes a certificar ao Congresso que o Irã está cumprindo a sua parte no acordo - algo que, em teoria, deve ser feito a cada três meses. Ainda assim, as sanções não voltaram automaticamente. Acontece, porém, que além disso o presidente americano afirmou, em janeiro, que abandonaria o acordo até 12 maio caso o Congresso e as potências europeias não corrigissem suas "falhas desastrosas".

Para Trump, o acordo restringe as atividades nucleares do Irã apenas por um período limitado. Ele alega que o documento não foi capaz de deter o desenvolvimento de mísseis balísticos; e que a liberação de US$ 100 bilhões (cerca de R$ 355 bilhões) de ativos internacionais do país foi usada como "um fundo para armas, terror e opressão" no Oriente Médio.

Leia mais: https://g1.globo.com/mundo/noticia/trum ... -ira.ghtml
Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé! (2 Timóteo 4:7)

Cristo vence, Cristo reina, Cristo impera.

Homens não são reféns das mulheres, mas reféns da própria libido.

Homem cafajeste merece mulher rodada. Ambos se completam.

Casamento nos moldes modernos é uma roleta russa, mas com todas as balas carregadas.


Alguns dos meus textos: [Reflexão] Lute contra uma vida vazia | [Reflexão] Dê graças a Deus por ter nascido Homem! | A Matrix da promiscuidade |
O corno, a família, o conservadorismo ou "A Vida como ela É" | O ateu conservador ou "O Que é Conservadorismo"? | Lumpemproletariado, violência e desarmamento civil em prol da Revolução

Imagem

✠ † ☨ ✞ ☩ ✙ ☧ ✚ ✟ ♰
Avatar do Usuário
mafioso
Veterano
Veterano
Mensagens: 118
Registado: 26 mar 2016, 18:09
Reputação: 1
Brazil

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor mafioso » 08 mai 2018, 19:24

viu que perdeu na siria agora o alvo é o irã
FODA SE !
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1336
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor Homem » 14 mai 2018, 10:33

Como uma aberração dessas consegue isso?

Não vou nem traduzir, pra quem entende de inglês é fácil entender:

"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
St. Cloud
Major
Major
Mensagens: 665
Registado: 12 mar 2016, 11:11
Reputação: 5
Italy

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor St. Cloud » 22 mai 2018, 18:02

TJ mantém decisão que anulou júris do massacre do Carandiru e determina novos julgamentos

Tribunal de Justiça rejeitou embargos de declaração do Ministério Público que contestavam decisão de anular condenações de PMs que mataram presos em 1992 em SP.

Imagem

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou nesta terça-feira (5) os embargos de declaração do Ministério Público (MP) contra a decisão da segunda instância de 2016, que anulou a condenação de policiais militares pelos assassinatos de presos no massacre do Carandiru em 1992.

Ao rejeitar esse recurso da Promotoria por decisão unânime, os desembargadores da 4ª Câmara do TJ mantiveram, na prática, a posição anterior deles, que anulou os cinco júris da primeira instância da Justiça quando 74 agentes da Polícia Militar (PM) haviam sido condenados pelos assassinatos de 77 detentos.

Além disso, o TJ manteve decisão já conhecida anteriormente, que determinava que os policiais fossem julgados novamente pelos crimes. Para isso, um juiz da primeira instância terá de marcar a data dos júris. Isso ainda não ocorreu. Caso o Ministério Público (MP) recorra da decisão ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), existe a possibilidade de que a terceira instância suspenda a marcação de novos julgamentos dos agentes da PM.

O julgamento dos embargos declaratórios foi refeito pelo TJ por determinação do STJ, que representa a terceira instância. Em abril, o STJ atendeu pedido do MP para os desembargadores Ivan Sartori, Camilo Léllis e Edison Brandão analisarem novamente o recurso e fundamentarem a decisão que anulou os júris do Carandiru.

A alegação da Promotoria era a de que, no primeiro julgamento dos embargos contrários à anulação das condenações dos PMs, quando os magistrados do TJ rejeitaram o recurso, eles não os tinham julgado corretamente. E, até que esse recurso fosse apreciado novamente, a decisão do Tribunal de Justiça que anulou os júris do Carandiru deixava, na prática, de ter validade e ficava suspensa temporariamente, isso segundo o MP.

Continua aqui https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/notic ... diru.ghtml
"Aquele que nunca acredita jamais será enganado" (N. A)
Avatar do Usuário
Hombre de hielo
Membro VIP
Membro VIP
Mensagens: 749
Registado: 12 mar 2016, 12:25
Reputação: 6
Brazil

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor Hombre de hielo » 25 mai 2018, 20:23

VPNhub – Pornhub lança uma aplicação de VPN para Android, iOS, MacOS e Windows

https://pplware.sapo.pt/smartphones-tablets/vpnhub-pornhub-aplicacao-vpn-android-ios-macos-windows/
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1336
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Efeitos da Greve dos Caminhoneiros

Mensagempor Homem » 29 mai 2018, 12:29



É inevitável: sempre que uma categoria profissional faz greve, quem banca as exigências é você

Por Leandro Roque

Imagem

Não foram poucos os leitores que nos enviaram mensagens exigindo que o IMB se manifestasse a favor da greve (que os defensores chamam de "paralisação") dos caminhoneiros.

Segundo esses leitores, os caminhoneiros estavam se manifestando contra o estado e exigindo a sua redução. Logo, dado que eles eram anti-estado, o IMB deveria se posicionar a favor deles — como, aliás, fizeram alguns institutos liberais.

O problema é que já somos muito escaldados nessa questão. No Brasil, quando uma categoria profissional faz greve (ou "paralisação", como queiram), ela nunca realmente quer a redução do estado. Ao contrário, aliás: quer mais privilégios garantidos pelo estado.

Esse é a regra: no setor público, categorias fazem greve por aumento salarial e manutenção (ou mesmo ampliação) de mordomias. O pagador de impostos banca as exigências. No setor privado, fazem greve por reserva de mercado, garantia de preços mínimos e isenções (esta última, uma demanda justa, desde que a isenção tributária não seja compensada sobre outros setores, que é o que sempre acontece). O consumidor banca as exigências.

No caso específico dos caminhoneiros e das transportadoras, embora de fato utilizassem um linguajar com sotaque anti-estado, exigindo a redução dos impostos (CIDE, PIS/COFINS e ICMS) sobre o diesel, as reais demandas eram muito mais estatizantes do que libertárias.

E isso ficou comprovado pelas medidas provisórias editadas pelo governo para satisfazer as demandas da categoria. Eis aqui a íntegra do documento que formalizou a ata da reunião dos caminhoneiros com o governo:

Imagem

Imagem


Vamos aos principais pontos.

1) Redução de R$ 0,46 no preço do diesel

Os caminhoneiros pediam uma redução entre R$ 0,40 e R$ 0,60. Conseguiram. Mas como será feita essa redução?

De um lado, o governo extinguirá a CIDE e reduzirá o PIS/COFINS que incide sobre o diesel, de R$ 0,46 por litro para R$ 0,35 por litro.

Essa é a única parte boa da notícia. Agora vem a encrenca.

Essa redução de impostos representará apenas R$ 0,16 de redução no preço do diesel. Como o governo prometeu redução de R$ 0,46, ainda faltam mais R$ 0,30. De onde virão?
Exato, de subsídios. O governo repassará dinheiro de impostos para a Petrobras (que, na canetada, reduziu o preço do diesel em suas refinarias) e para importadoras de combustíveis (responsáveis por 20% do consumo interno) para compensar essa queda forçada no preço.

Qual será o custo final de tudo? A extinção da CIDE e a redução do PIS/COFINS gerarão, segundo o próprio governo, uma queda na arrecadação de R$ 4 bilhões. Já os subsídios diretos custarão incríveis R$ 9,5 bilhões.
Ou seja: queda de R$ 4 bilhões na arrecadação e aumento de R$ 9,5 bilhões nos gastos. Isso dá um rombo total de R$ 13,5 bilhões. Que tal?

E como esse rombo será fechado? De concreto, haverá a reoneração da folha de pagamento de 28 setores. Ou seja, o governo irá aumentar o número de setores que voltarão a pagar imposto sobre a folha de pagamento (transportadoras estão excluídas). Esse projeto está tramitando no Senado.

O governo também afirmou que o restante virá da "reserva de contingência do Orçamento e de um forte corte nas despesas". Este último, obviamente, nunca ocorreu na história do país. Gastos nunca são cortados; no máximo, reduz-se seu ritmo de crescimento.

Eis, então, a primeira conquista: controle de preços, aumento do déficit orçamentário e aumento da carga tributária sobre outras empresas.

Nada libertário.

Ah, e de lambuja, o Procon irá fiscalizar se os postos irão realmente repassar às bombas essa queda no preço. Isso é uma espécie de reedição branda dos fiscais do Sarney.

Prossigamos.

2) Edição de Medida Provisória para extinguir a cobrança de pedágio pelo eixo suspenso de caminhões vazios em estradas federais, estaduais e municipais

Essa medida já era válida para as rodovias federais desde 2015. Agora, será também obrigatória para as rodovias estaduais e municipais, inclusive as concessionadas.

Qual o problema com essa medida? Vários. Citarei os três principais.

Para começar, essa medida representa a total abolição do federalismo (se é que ele já existiu no país) e da autonomia de estados e municípios. O governo federal revogou a autonomia de estados e municípios sobre uma determinada questão e simplesmente centralizou uma decisão paroquial em Brasília. Na prática, todas as estradas do país foram federalizadas.

Adicionalmente, tal medida gera uma inevitável incerteza jurídica. Empresas concessionárias que arremataram trechos rodoviários estaduais e municipais sob determinadas condições (como poder cobrar por eixo suspenso) agora, repentinamente, irão operar sob novas regras, definidas pelo governo federal. Houve uma alteração súbita nas regras, uma quebra de contrato, algo que não estava acordado no momento da concessão.

Pela lógica, futuras concessões sairão mais caras, pois as empresas obviamente levarão em conta essa incerteza jurídica.

Por fim, dado que a receita das concessionárias será reduzida por essa medida, é um tanto óbvio que elas irão tentar compensar essa queda na arrecadação aumentando os pedágios sobre motos e carros. A ANTT não irá se opor a esse aumento, o qual será justificado como "reposição inflacionária".


https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2897
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
Homem
Moderador
Moderador
Mensagens: 1336
Registado: 12 mar 2016, 19:42
Reputação: 11

Re: Efeitos da Greve dos Caminhoneiros

Mensagempor Homem » 29 mai 2018, 12:44

3) Edição de Medida Provisória garantindo que a CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento) contrate caminhoneiros autônomos sem licitação para 30% dos fretes

Não tem como disfarçar: isso é reserva de mercado explícita, agora sacramentada por Medida Provisória.
Caminhoneiros autônomos terão agora o direito de transportar 30% dos fretes da Conab, sendo escolhidos sem licitação — o que, na prática, representa literalmente um cheque em branco.
Apenas para lembrar: a CONAB é uma estatal que, só em 2017, gastou R$ 107 milhões apenas com frete. De agora em diante, a porteira está aberta.

4) Edição de Medida Provisória contemplando o texto do Projeto de Lei da Câmara nº 121/2017, que dispõe sobre a política de preços mínimos de frete em território federal

Essa também não tem como disfarçar: é uma política de imposição de preços mínimos, cujo efeito é impedir a entrada de novos e pequenos concorrentes. O autor deste projeto de lei é o deputado federal Assis do Couto, do PT do Paraná (parece que agora ele está no PDT, tanto faz, tudo lixo esquerdista).

Na prática, o governo federal está dizendo que nenhum frete pode custar menos que o valor estipulado por burocratas em conluio com caminhoneiros e transportadoras. O governo estipular preços mínimos significa a abolição do mais salutar efeito do livre mercado e da livre concorrência, que é exatamente a queda (ou a contenção) de preços.

Mas as consequências são ainda piores: se um caminhoneiro novato estiver tentando entrar no mercado e quiser oferecer preços menores exatamente para tentar se estabelecer e conseguir um nicho, ele agora estará proibido disso, por força de lei. E se, por acaso, ele ainda assim quiser cobrar um preço baixo, poderá ser preso.

De novo: tal medida representa a abolição da livre concorrência, erigindo uma barreira à entrada de novos concorrentes no mercado de transportes. Representa também uma reserva de mercado para os caminhoneiros e transportadoras já estabelecidos.

Desnecessário ressaltar que, havendo agora um piso para o frete, a tendência é que haja uma alta nos preços, principalmente dos alimentos. (Redução no preço do diesel é uma redução de custo, a qual não necessariamente leva a uma redução de preços; redução de preços só ocorre quando há livre concorrência).

Como apoiar isso?

Portanto, eis o resumo da ópera: mais reserva de mercado, imposição de preços mínimos para frete, restrição à entrada de novos concorrentes, mais centralização sob o governo federal, controle de preços do diesel, aumento de subsídios, repasses de dinheiro de impostos para a Petrobras e para importadoras de combustível, aumento do déficit orçamentário (o que implicará aumento da dívida pública) e aumento de impostos sobre outros setores.

É absolutamente impossível apoiar isso.

E, no final, essa era a real pauta dos caminhoneiros e das transportadoras: conseguir benefícios (à custa de quem quer que fosse). O fato de eles terem utilizado um linguajar anti-estado (e, convenhamos, xingar políticos de ladrões já deixou há muito de ser uma postura anti-estado; virou convencional) não oculta o fato de que, na prática, suas exigências eram por mais estado (desde que o estado agora fosse a seu favor) e por menos livre concorrência.

Qual seria uma pauta realmente libertária? Desestatização da Petrobras, liberação efetiva do mercado interno para o refino de petróleo (hoje, a Petrobras comanda 98% do refino no Brasil e não há nenhuma segurança jurídica para a entrada de concorrentes; entenda os detalhes aqui), redução dos gastos do governo, como a abolição de ministérios, agências e secretarias (o que, aí sim, permitiria redução de impostos), abolição das alíquotas de importação de petróleo, e fim das regulamentações sobre a abertura de postos de combustíveis, que são a maior reserva de mercado do país.

E o que fazer para resolver os problemas urgentes gerados pela paralisação? O governo e a ANTT deveriam liberar transportadoras estrangeiras (argentinas, uruguaias, paraguaias, peruanas, colombianas, bolivianas etc). para fazerem fretes aqui dentro, de uma cidade a outra. Embora isso não vá resolver em definitivo o problema, ao menos amenizaria bastante o desabastecimento ao redor do país. Mas isso nunca será feito, pois sempre haverá alguém para invocar a questão da "soberania nacional".

Conclusão

Embora tenham utilizado um linguajar anti-estado (mas que se resumia apenas a slogans surrados, como "parar a roubalheira"), as demandas de caminhoneiros e transportadoras, infelizmente, levaram a um aumento do poder do estado.

Em última instância, como bem disse um leitor, as exigências de caminhoneiros e transportadoras não eram anti-estado; eles apenas queriam que o governo reduzisse os preços do diesel e do pedágio simplesmente porque o alto custo estava afetando seus lucros. Normal. Não há nada de inerentemente libertário nessa postura.

E queriam também, como ficou comprovado, mais reserva de mercado e preço mínimo tabelado. Isso, lamento, é ser pró-estado, e não anti.

E, no final, quem irá bancar todas essas demandas, tanto na forma de impostos e de preços mais altos? Apenas olhe para o espelho.


Leandro Roque é economista e tradutor do site do Instituto Ludwig von Mises Brasil.


https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2897
"Acabou o dinheiro, o carro, acabou os amigos e as mulheres" (Predador)
Avatar do Usuário
Hombre de hielo
Membro VIP
Membro VIP
Mensagens: 749
Registado: 12 mar 2016, 12:25
Reputação: 6
Brazil

Re: [Plantão] Poste notícias aqui

Mensagempor Hombre de hielo » 29 mai 2018, 23:25

Enquanto o "paidrasto" dele tiver gozando na mãe dele, ficará tudo bem, quero ver depois de uma eventual separação!

Jovem vai poder usar sobrenome do padrasto após decisão da justiça: 'ele é meu pai verdadeiro', diz jovem

https://g1.globo.com/ac/acre/noticia/jovem-vai-poder-usar-sobrenome-do-padrasto-apos-decisao-da-justica-ele-e-meu-pai-verdadeiro-diz-jovem.ghtml
Avatar do Usuário
Spider_Moch
Administrador
Administrador
Mensagens: 383
Registado: 11 mar 2016, 01:59
Reputação: 5
Germany

Paralisação dos caminhoneiros

Mensagempor Spider_Moch » 29 mai 2018, 23:41

Paralisação dos caminhoneiros
Como ta paralisação na sua cidade o que os confrades tão achando disso? Estão preparado caso tenha intervenção ? Postem atualizações aqui dessa crise.
Imagem
Última edição por Spider_Moch em 29 mai 2018, 23:48, editado 2 vezes no total.
Não se apegar a nada e nem a ninguém é ser verdadeiramente livre. :twisted:

Podcast Homens Realistas - https://goo.gl/9aoNVt
Avatar do Usuário
Spider_Moch
Administrador
Administrador
Mensagens: 383
Registado: 11 mar 2016, 01:59
Reputação: 5
Germany

Re: Paralisação dos caminhoneiros

Mensagempor Spider_Moch » 29 mai 2018, 23:45

A Primeira bola fora do bolsonaro ele ta contra a paralisação dos caminhoneiros.
Não se apegar a nada e nem a ninguém é ser verdadeiramente livre. :twisted:

Podcast Homens Realistas - https://goo.gl/9aoNVt
Avatar do Usuário
Expoure
Capitão
Capitão
Mensagens: 487
Registado: 20 mai 2017, 21:19
Reputação: 6
Brazil

Re: Paralisação dos caminhoneiros

Mensagempor Expoure » 30 mai 2018, 06:33

eu to completamente neutro quanto a paralisação. A intensão é boa, mas o inferno ta cheio de boas intensões. E é difícil ver o que ta acontecendo, em geral, e impossível prever as consequências que são imprevísiveis e que só aparecerão com o tempo, mas que com toda a certeza todos irão arcar.

Na cidade onde moro: Tão controlando a gasolina, universidade voltou a ter aula mas nem 60% dos alunos estão comparecendo, e ta faltando legumes frutas e afins.
Na cidade dos meus pais: Gasolina é só pra polícia e veículas da saúde (mas há caminhoneiros ameaçando quebrar os postos que venderem pra cidadãos, ta muito loco lá!), começando a terminar a carne (não é um problema, é uma cidade de interior e o pessoal que mora "pra fora" vai vender carne (de boa qualidade, ou pelo menos com mais qualidade que no mercado)), jovens degenerados e de esquerda choram por falta prozac nas farmacias, enfim...
“Aprendi na estrada que o mais difícil não é seguir em frente, e sim, não olhar para trás.”

"Se você parar de ver o mundo em termos do que você gosta ou desgosta e começar a ver as coisas pelo o que elas realmente são, vai encontrar um ideal de paz muito maior na sua vida"
Patrick Jane (The mentalist)
Euler
Aspirante
Aspirante
Mensagens: 27
Registado: 19 mai 2018, 12:16
Reputação: 0

Re: Paralisação dos caminhoneiros

Mensagempor Euler » 30 mai 2018, 08:25

Absolutamente contra esses vagabundos. Pegaram financiamento no governo Lula, inflaram a oferta de caminhoneiros o que fez o frete ir lá pra baixo, e, combinado com a alta do petróleo, tomaram no cu. Agora querem forçar controle de preços sobre o frete e isenção de impostos sobre o diesel, o que irá forçar aumento de preços e impostos em outros setores. Enquanto isso, pessoas morrem nos hospitais por falta de medicamentos e a população vai começar a passar fome.

Voltar para “Fórum da Real”

Quem está logado:

Usuários neste fórum: Nenhum utilizador registado e 4 visitantes