Se registrou agora? é obrigatório se apresentar neste tópico em menos de 24 horas, sob pena de exclusão: [Novatos] Apresente-se aqui.

OBS.: Para participar do Chat, ver perfis e acessar o sub-fórum Relatos & Relacionamentos você precisa se cadastrar no Fórum. Os tópicos dessa seção não aparecem no box de mensagens recentes abaixo.

Estado ginocentrista e misândrico

Discussões com temáticas realistas e afins
fantasma
Aspirante
Aspirante
Mensagens: 40
Registado: 19 nov 2017, 08:30
Reputação: 0
Brazil

Estado ginocentrista e misândrico

Mensagempor fantasma » 01 fev 2018, 13:10

Primeiro parágrafo:

“No caso presente, não bastasse a situação de notória desigualdade considerada a mulher, aspecto suficiente a legitimar o necessário tratamento normativo desigual, tem-se como base para assim se proceder a dignidade da pessoa humana – art. 1º, III –, o direito fundamental de igualdade – art. 5º, I – e a previsão pedagógica segundo a qual a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais – art. 5º, XLI. A legislação ordinária protetiva está em fina sintonia com a Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Violência contra a Mulher, no que revela a exigência de os Estados adotarem medidas especiais destinadas a acelerar o processo de construção de um ambiente onde haja real igualdade entre os gêneros. Há também de se ressaltar a harmonia dos preceitos com a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher – a Convenção de Belém do Pará –, no que mostra ser a violência contra a mulher uma ofensa aos direitos humanos e a consequência de relações de poder historicamente desiguais entre os sexos.”

Segundo parágrafo:

“Sob o ângulo constitucional explícito, tem-se como dever do Estado assegurar a assistência à família na pessoa de cada um dos que a integram, criando mecanismos para coibir a violência no âmbito de suas relações. Não se coaduna com a razoabilidade, não se coaduna com a proporcionalidade, deixar a atuação estatal a critério da vítima, a critério da mulher, cuja espontânea manifestação de vontade é cerceada por diversos fatores da convivência no lar, inclusive a violência a provocar o receio, o temor, o medo de represálias.

Esvazia-se a proteção, com flagrante contrariedade ao que previsto na CF, especialmente no § 8º do respectivo art. 226, no que admitido que, verificada a agressão com lesão corporal leve, possa a mulher, depois de acionada a autoridade policial, atitude que quase sempre provoca retaliação do agente autor do crime, vir a recuar e a retratar-se em audiência especificamente designada com tal finalidade, fazendo-o – e ao menos se previu de forma limitada a oportunidade – antes do recebimento da denúncia, condicionando-se, segundo o preceito do art. 16 da lei em comento, o ato à audição do Ministério Público. Deixar a cargo da mulher autora da representação a decisão sobre o início da persecução penal significa desconsiderar o temor, a pressão psicológica e econômica, as ameaças sofridas, bem como a assimetria de poder decorrente de relações histórico-culturais, tudo a contribuir para a diminuição de sua proteção e a prorrogação da situação de violência, discriminação e ofensa à dignidade humana.

Implica relevar os graves impactos emocionais impostos pela violência de gênero à vítima, o que a impede de romper com o estado de submissão. Descabe interpretar a Lei Maria da Penha de forma dissociada do Diploma Maior e dos tratados de direitos humanos ratificados pelo Brasil, sendo estes últimos normas de caráter supralegal também aptas a nortear a interpretação da legislação ordinária. “

[ADI 4.424, voto do rel. min. Marco Aurélio, j. 9-2-2012, P, DJE de 1º-8-2014.] – A Constituição e o Supremo – Legislação anotada – março de 2017. Grifo meu.

Estes dois parágrafos decretado no Supremo mostra firmemente uma proteção absoluta para a mulher, se você ver os parágrafos restantes, chegará a se assustar do poder que a legislação está dando para a mulher, como não caberia tudo aqui, deixaremos o livro no final do post para download (do site oficial do STF) no intuito de investigações particulares.

Analisemos agora dois fatores nos parágrafos citados: “Não se coaduna com a razoabilidade, não se coaduna com a proporcionalidade, deixar a atuação estatal a critério da vítima, a critério da mulher”. Esta declaração praticamente está tirando da “vitima” (da mulher) o poder dela mesma reagir e o Estado agirá por ela. “Não se coaduna (v.t.d juntar), não se pode ajuntar com a razão de deixar uma mulher pensar em denunciar um abuso ou não. O Segundo grifo fica mais claro: desconsiderar o temor, a pressão psicológica e econômica, as ameaças sofridas, bem como a assimetria de poder decorrente de relações histórico-culturais…

Em outras palavras, se antes a mulher já ferrava um homem fazendo uma denúncia (verdadeira ou falsa), dependendo da discussão, ela poderia resolver o caso em seu lar, e posteriormente nem sequer registrava queixa. Nada obstante, a situação piorou para as próximas décadas. Daqui em diante, a mulher não precisará mais fazer denúncia (verdadeira ou falsa) alguma, o Estado se ofereceu para agir em punir qualquer incidente; não consideram, todavia, o quanto qualquer mulher ciente disso pode se beneficiar. Suponha uma discussão no lar, TODA mulher pode desafiar a masculinidade do marido gritando “Bate seu bosta, quero ver se é homem!!!” Além destes ataques psicológicos, ela pode avançar e atacar fisicamente o homem, caso termine no homem reagir em instinto de defesa, ele ainda será preso.

Imagine agora, se este homem agredido psicologicamente ou fisicamente fosse um homem bem resolvido na vida, cuja estratégia financeira de engendrar dinheiro depende dele estar livre, claro que a mulher no passado optaria em não registrar a queixa, mas ela ia fazendo estes inferninhos até o homem não puder aguentar mais, e cansamos de ver isso em noticiário e depoimentos de homens ricos e divorciados. Só que agora, o Estado neste paragrafo ignora o sentimento humano (interesseiro) da mulher. Pouco importa, agora o governo em si com sua lei pode prender o homem alegando que a mulher não fizera a devida denuncia por estar acuada psicologicamente e ponto. Acabou, não interessa nem se a mulher escolheu o joguinho ou não, essa sanção foi promulgada em 2017, e as chances são nulas de brigar com o Estado.

Mas e se a mulher de antes precisaria do homem livre para viver e não registrava as denúncias, e agora? É óbvio que a legislação também deu um jeito de dar todos os bens do homem preso para a mulher.

Agora paramos para pensar: “como pode, numa nação e num mundo como esse, dominado por uma legislação dominante sob tais decretos que podem ser visto por todos, um homem querer conviver com uma mulher embaixo do mesmo teto?? Em que base dentro da razão se sustenta tal ato suicida? Chega a ser uma burrice neste caso. E mostraremos dentro das pesquisas reais o porque isso seria tanto um ato suicida quanto uma burrice.

Se uma mulher avança em um homem e acaba sofrendo por reação do homem, e ela não quer alegar denuncia, o Estado não quer mais saber disso. Daqui para frente não interessa nem a ação inicial da mulher – como lemos no parágrafo legislativo acima – basta um vizinho(a) denunciar e a polícia estará ai para prendê-lo com lei promulgada. O Estado tomará as providências ainda que a mulher se arrependa de suas ações, aliás, isso não interessa para o governo, pois ele pode dar tudo que era do marido para a mulher em pé e igualdade com o código jurídico.

Numa convivência a dois, no momento de desavença (coisa que naturalmente acontece) ela vai olhar com gozo e vingança, com poder e satisfação e lhe desafiar dentro de sua casa: “me bate seu cretino, sua bicha frouxa, quero ver se é homem!! Quero ver se tem coragem. TODAS as mulheres agora tem esse direito graças a legislação.


Fonte: http://www.mgtowbrasil.com/2018/01/09/r ... sistencia/
Última edição por fantasma em 08 abr 2018, 10:39, editado 1 vez no total.
---
Respeito todas as mulheres e tenho amor por elas. MGTOW é uma filosofia e manual sobre prudência. Mostra-nos o caminho de viver bem a própria vida, MGTOW é auto-preservação somente.
---
Avatar do Usuário
Canis Lupus
Veterano
Veterano
Mensagens: 201
Registado: 16 mai 2016, 10:57
Reputação: 5

Re: Estado ginocentrista e misândrico

Mensagempor Canis Lupus » 10 fev 2018, 13:26

Foi um dos motivos que me levaram ao divorcio. Ela possuía um comportamento agressivo, tóxico e usava de todas as artimanhas psicológicas para me atingir. Isso chegou ao cúmulo, quando ela começou a gritar feito louca e veio para cima de mim, aí eu disse: bata, mas saiba que você vai levar o seu. Dessa vez disse que ia acabar comigo, na delegacia e no caralho a 4. Em resposta, olhei nos olhos dela e simplesmente disse: amanhã eu darei entrada no divórcio, e assim o fiz, estou passando por dificuldades, porém aos poucos estou me organizando, evoluindo, e inclusive a dita cuja, estava atrás de mim, querendo que eu voltasse, kkkk.

Hoje prezo minha paz e auto respeito. Se eu encontrar alguma mulher que me respeite e venha a somar, ótimo, se não, prefiro continuar como estou, sem aporrinhação.
fantasma
Aspirante
Aspirante
Mensagens: 40
Registado: 19 nov 2017, 08:30
Reputação: 0
Brazil

Re: Estado ginocentrista e misândrico

Mensagempor fantasma » 12 fev 2018, 01:30

Canis Lupus Escreveu:Foi um dos motivos que me levaram ao divorcio. Ela possuía um comportamento agressivo, tóxico e usava de todas as artimanhas psicológicas para me atingir. Isso chegou ao cúmulo, quando ela começou a gritar feito louca e veio para cima de mim, aí eu disse: bata, mas saiba que você vai levar o seu. Dessa vez disse que ia acabar comigo, na delegacia e no caralho a 4. Em resposta, olhei nos olhos dela e simplesmente disse: amanhã eu darei entrada no divórcio, e assim o fiz, estou passando por dificuldades, porém aos poucos estou me organizando, evoluindo, e inclusive a dita cuja, estava atrás de mim, querendo que eu voltasse, kkkk.

Hoje prezo minha paz e auto respeito. Se eu encontrar alguma mulher que me respeite e venha a somar, ótimo, se não, prefiro continuar como estou, sem aporrinhação.


Teve uma época que lamentei por não ter me casado, hoje vejo a sorte que tive.
Última edição por fantasma em 08 abr 2018, 10:38, editado 1 vez no total.
---
Respeito todas as mulheres e tenho amor por elas. MGTOW é uma filosofia e manual sobre prudência. Mostra-nos o caminho de viver bem a própria vida, MGTOW é auto-preservação somente.
---
Avatar do Usuário
Schrödinger
Membro VIP
Membro VIP
Mensagens: 487
Registado: 27 abr 2017, 20:53
Reputação: 8
Brazil

Re: Estado ginocentrista e misândrico

Mensagempor Schrödinger » 12 fev 2018, 10:16

A estupidez masculina em relação às mulheres é cultural. Não há nada mais comum que um otário repetindo a frase: "ah, mas lá em casa quem manda é a patroa!" -- geralmente quem diz isso o faz com um belo sorriso nos lábios. Com uma cultura tão baixa não poderia ser diferente. Enquanto em alguns países as mulheres aprendem a serem boas mães responsáveis, no Brasil a guria com 15 anos de idade ouve funk. E do lado masculino é até pior.

Não esperem nada de bom vindo no Brasil pelos próximos 200 anos. Sendo bem otimista.
Se você está aqui pra aprender a agradar mulher, você é um filho da puta, aqui não é o teu lugar. Enfia o teu rabo no meio das pernas e saia daqui.
Avatar do Usuário
Canis Lupus
Veterano
Veterano
Mensagens: 201
Registado: 16 mai 2016, 10:57
Reputação: 5

Re: Estado ginocentrista e misândrico

Mensagempor Canis Lupus » 12 fev 2018, 14:10

O desempenho do papel masculino na relação exige que este seja o líder, e seja acreditado nas suas decisões. Isto obviamente é aceito de forma voluntária e nunca imposta á mulher. E é dessa união entre um homem com esse perfil dominante, com uma mulher que acata essa liderança, que surge um relacionamento funcional, capaz de suprir as necessidades de ambos, fazendo com que esse namoro e/ou casamento prospere. Assim sendo, a sociedade está doente porque os papéis masculinos e femininos foram invertidos, e isso traz insatisfação, sofrimento e um crescente número de divórcios e até crimes passionais.

Voltar para “Fórum da Real”

Quem está logado:

Usuários neste fórum: Nenhum utilizador registado e 2 visitantes